22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

AMIGO DE LARRY NASSAR

Horas após ser acusado por estupro de meninas ginastas, treinador comete suicídio

Geddert foi acusado de transformar sua academia em Michigan em um empreendimento criminoso de anos ao coagir garotas a treinar com ele e depois abusar delas verbal e fisicamente

A- A+

John Geddert, de 63 anos, ex-técnico da equipe olímpica feminina de ginástica artística dos Estados Unidos, suicidou-se na quinta-feira (25.fev), 3 horas após ser acusado de 24 crimes. 20 deles estavam relacionados com tráfico de pessoas e trabalho forçado, dois eram por crimes sexuais, um por organização criminosa e outro por mentir para a polícia. 

Este último estava relacionado ao caso maníaco sexual Larry Nassar, ex-médico esportivo da Michigan State University agora na prisão, que como médico da equipe olímpica abusou de mais de 140 meninas durante quase duas décadas. A Promotoria de Michigan confirmou a morte de Geddert. “Este é um final trágico de uma história trágica para todos os envolvidos”, disse a promotora-geral de Michigan, Dana Nessel.

Em uma entrevista coletiva concedida antes da morte de Geddert ser conhecida, a promotora Nessel disse que as acusações envolviam menores de idade e que, embora não pudesse fornecer o número exato de vítimas, adiantou que era inferior a 50. Entre as acusações, 14 eram de tráfico de pessoas/trabalho forçado resultando em lesões, seis de tráfico de menores para trabalho forçado e duas de agressão sexual — uma de primeiro grau e outra de segundo — contra uma adolescente em 2012. Estava previsto que Geddert seria processado na tarde de hoje (26.fev) no tribunal do condado de Eaton, próximo Lansing (Michigan). A CNN obteve uma cópia da denúncia contra o ex-técnico em que se constatou que os supostos crimes se estenderam de 2008 a 2016.

Geddert foi acusado de transformar sua academia em Michigan em um empreendimento criminoso de anos ao coagir garotas a treinar com ele e depois abusar delas verbal e fisicamente.

"As vítimas sofrem de distúrbios alimentares", disse Nessel, "incluindo bulimia e anorexia, tentativas de suicídio e autoagressão, condicionamento físico excessivo, repetidas vezes sendo forçadas a atuar mesmo quando estão feridas, abuso emocional extremo e abuso físico, incluindo agressão sexual. “Muitas dessas vítimas ainda carregam essas cicatrizes desse comportamento até hoje”, disse o procurador-geral.

"Nós pensamos que isso afeta predominantemente pessoas de cor ou aqueles sem meios para se proteger ... mas, honestamente, pode acontecer com qualquer pessoa, em qualquer lugar", disse ela. “As mulheres jovens impressionáveis podem às vezes ser vulneráveis e abertas a crimes de tráfico, independentemente de sua estatura na comunidade ou do bem-estar financeiro de suas famílias”.

Geddert foi suspenso pela ginástica americana de Indianápolis durante o escândalo de Nassar. Ele disse às famílias em 2018 que estava se aposentando.

Em sua página no LinkedIn, Geddert descreveu a si mesmo como "o treinador de ginástica feminina mais condecorado da história da ginástica em Michigan". Ele disse que seus times Twistars ganharam 130 campeonatos de clubes.

Mas Geddert foi frequentemente retratado de maneiras nada lisonjeiras quando as vítimas de Nassar falaram durante as audiências do tribunal em 2018."Que grande melhor amigo John foi para Larry por dar a ele um mundo inteiro onde ele era capaz de abusar com tanta facilidade", disse Lindsey Lemke, agora um técnico da Universidade de Arkansas. "Vocês dois têm um sentido engraçado de amizade. Você, John Geddert, também merece sentar atrás das grades ao lado de Larry."

Ele também foi acusado de mentir para investigadores em 2016, quando negou ter ouvido queixas sobre Nassar, que está cumprindo décadas de prisão por agredir sexualmente atletas do sexo feminino em um escândalo que contou centenas de vítimas e virou a ginástica americana de cabeça para baixo.

*Com informações de ABC News.