16 de maio de 2022
Campo Grande 21º 13º

NEGACIONISTA | ANTIVACINA

Olavo de Carvalho contraiu Covid-19, usou cloroquina e morreu

"O vírus mocoronga mata mesmo as pessoas ou só as ajuda a entrar nas estatísticas?", havia postado Olavo

A- A+

Há poucos minutos o Sleeping Giants Brasil, disse nesta terça-feira (25.jan.22) que o guru bolsonarista Olavo de Carvalho, morreu ontem (24.jan) aos 74 anos, após contrair Covid-19, usar cloroquina, e faleceu antes de ser intubado. O ideólogo da extrema-direita brasileira é considerado uma espécie de "guru" do bolsonarismo e não acreditava na eficácia das vacinas, mas apostava na cura por meio de medicamentos alternativos como a hidroxicloroquina, defendida por Jair Bolsonaro (PL). 

No dia 15 de janeiro, Olavo foi diagnosticado com covid-19. Na mesma semana, cancelou aulas de um curso que ministrava de forma online. Durante a pandemia, Olavo de Carvalho fez diversas publicações com teor negacionista nas redes sociais.

Em uma dessas postagens, escreveu: "Dúvida cruel. O vírus mocoronga mata mesmo as pessoas ou só as ajuda a entrar nas estatísticas?".

O professor, mesmo morando nos Estados Unidos, insuflava que brasileiros fossem contra a ciência.

Para ampliar seu alcance, o "guru" contava com a ajuda da família presidencial: Jair Bolsonaro e seus filhos, além de seguidores radicais de extrema-direita. Juntos, eles formavam uma rede de ódio e negacionismo que visava somente contestar a ciência e os estudos sobre a Covid-19 - para isso, eles elegeram a cloroquina e hidroxicloroquina como "possível cura". Apesar disso, Jair Bolsonaro, Olavo e os líderes da extrema-direita apostam, na verdade, na "contaminação em massa", para assim, obter "anticorpos naturais". O problema desse pensamento é que muitos organismos não são resistentes ao vírus e, ao se contaminarem, acabam perdendo a luta para a doença.  

As vacinas contra Covid-19, como a própria ciência destaca, não impede que indivíduo contraia o vírus, porém, impede que a doença ataque agressivamente o sistema imunológico, dando ao corpo a chance de combater o coronavírus.

A briga do bolsonarismo é que, com os investimentos sendo empenhados no combate à doença, eles não podem gastar a verba pública em grandes obras e etc..., isso marcaria uma gestão. No entanto, Bolsonaro poderia ter feito uma gestão positiva no combate ao vírus, mas prefere até hoje, ignorar a existência da doença. 

Ao lamentar a morte de Olavo, tanto Jair Bolsonaro quanto os filhos e os seguidores ignoraram a causa. 

Olavo travou nos últimos 2 anos, uma insistente briga com a ciência. Ele insistia que quando as pessoas usassem máscaras e álcool em gel , estariam abrindo mão da liberdade. Para o "guru" a máscara não protege contra a doença, assim como o álcool. Ele apostava que isso era uma estratégia de "doutrinação".