02 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Bem na foto e mal nas contas

Investigações sobre os gastos de prefeituras e outros poderes públicos com propaganda oficial podem – e vão – encontrar rastros de investimentos oficiais e extra-oficiais. Além dos contratos que seguem à risca as determinações legais, alguns controlados pelo Ministério Público via TACs (Termos de Ajuste de Conduta), existe a derrama na base do “por fora”, quase sempre por meio de terceirizações subterrâneas. Consta que cinco grandes cidades de Mato Grosso do Sul tornaram-se verdadeiras “minas de ouro no asfalto” para meia dúzia de espetinhos que controlam a sangria. Em suma: ordenadores de despesa surfam na onda do prestígio midiático e se acham impunes, carregando no desembolso de verba publica para propaganda pessoal visando à reeleição em 2016.