08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

EXECUÇÃO | FRONTEIRA

Vídeo: atiradores usaram AR-15 e AK-47 para executar "Bebeto" e estudantes de medicina

Criminosos chegaram em caminhonete e emboscaram jovens na saída de uma festa na manhã do sábado (9.out); alvo era "Bebeto"

A- A+

Atiradores desceram de uma caminhonete e efetuaram o ataque a tiros no sábado (9.out.21) às 06h05 na Rua Mariscal López, esquina com Ytororó, no bairro de Santo Antônio em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz divisa com Ponta Porã (MS). A informação inicial dizia que dois criminosos em uma moto haviam cometido o ataque, porém, imagens de câmeras de segurança (abaixo), mostram que o grupo efetuou os disparos a curta distância e desceram todos de uma caminhonete cinza.

Morreram no ataque: Vicente Álvarez Grance, de 29 anos, vulgo “Bebeto”, a jovem estudante de medicina, suposta namorada de "Bebeto", Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha do governador de Amambay, o liberal Ronald Enrique Acevedo Quevedo. Também foram executadas as estudantes brasileiras Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos e Rhannye Jamilly Borges de Oliveira, de 19 anos. Elas eram colegas de classe de Haylee na Faculdade de Medicina da Universidade Central do Paraguai (UCP), em Pedro Juan Caballero. 

Conforme as imagens, três homens desembarcaram e efetuaram os tiros. A polícia diz que os suspeitos usaram dois rifles: uma AK-47 calibre 7.62, que foi disparado 57 vezes, e um rifle AR-15, calibre 5.56, que disparou 50 tiros, com base em cartuchos coletados no local e perfurações na lataria da picape Chevrolet Blazer branca, ano 2016, com placa PSR 8D12, de origem brasileira. A polícia paraguaia disse que o veículo que seria de “Bebeto” está listado como furtado na cidade de Navegantes, no estado de Santa Catarina.  

VEJA O VÍDEO 

INVESTIGAÇÃO 

A Polícia de Assunção (Capital do Paraguai), trabalha com três hipóteses envolvendo Bebeto. Diz que ou ele pode ter traído o PCC e por isso foi executado; ele mandou matar o sobrinho de um narcotraficante, e ainda há a suspeita de que ele tinha uma grande dívida com traficantes de drogas.

Primeira linha de investigação: "Bebeto" foi informante da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai, tendo denunciado o último chefe do PCC capturado em Pedro Juan Caballero, Weslley Neres Dos Santos, conhecido como "Bebezão", preso em 23 de março de 2021, junto com outros 13 membros da organização dentro de uma "lavanderia" que pertencia a "Bebeto"...

Segunda linha de investigação: Bebeto foi ligado pelos criminosos ao assassinato de Marco Esquivel González, de 32 anos,  o "Marquito", executado em 15 de agosto de 2021 em Pedro Juan Caballero. Na ocasião, a esposa do executado, Lorena Concepción Areco Gauto, de 30 anos, também morreu. Marquito era sobrinho de Cornelio Esquivel Maldonado, de 39 anos, vulgo 'Mitu', que segundo o Ministério Público é um dos chefes do crime organizado na fronteira. 

Terceira linha de investigação: "Bebeto" estaria devendo a fornecedores de drogas na fronteira e não conseguiu cumprir todos os seus “compromissos”.

SOBREVIVENTES 

Os criminosos efetuaram 110 tiros, que também atingiram os jovens paraguaios Bruno Elías Pereira Sánchez, de 20 anos e Iris Esiely Molinari Villasboa, de 21 anos, e  ainda mais uma jovem brasileira, Rhafaelli Alves do Nacimento, de 20 anos. Eles foram socorrido e seguem intgernados no hospital da cidade paraguaia.