27 de fevereiro de 2024
Campo Grande 31ºC
vertice ipv- segov

Conversando Direito

A Black Friday realmente existe no Brasil?

A Black Friday realmente existe no Brasil?

A Black Friday é um evento norte-americano que ocorre tradicionalmente após o feriado de Ação de Graças (Thanksgiving Day, que é tradicionalmente comemorado toda 4ª quinta-feira de novembro).

Muitas são as teorias a respeito da origem do termo Black Friday. 

Entretanto, é certo que ele começou a ser utilizado para designar essa data específica pós-feriado por policiais da Filadélfia que viam um grande aumento no fluxo de pessoas no dia seguinte ao Thanksgiving Day.

Com todas as filas, trânsito e confusão causadas pela corrida às compras, os policiais começaram a chamar aquela sexta-feira específica de “Black Friday”, com uma evidente conotação negativa.

Em razão do investimento por parte dos comerciantes, o termo foi ressignificado e acabou se popularizando por vários países mundo afora como uma das datas onde o consumo bate recordes, inclusive no Brasil. 

A primeira Black Friday do Brasil aconteceu no dia 26 de novembro de 2010, foi totalmente online e organizada por empresas do e-commerce.

Nos anos seguintes outras empresas começaram a aderir, contudo fenômenos como maquiagem de preços, golpes e propagandas enganosas “sujaram” o nome do evento.

Desde então a Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) e players do mercado vem tentando construir um bom nome para a Black Friday, criando regras, selos de confiança e até mesmo um Código de Ética da Black Friday a ser seguido pelos comércios que aderem.

E tudo indica que funcionou.

Segundo dados divulgados pelo e-commerce Brasil, a Black Friday 2021 movimentou R$5,4 bilhões, contando o período de quinta-feira às 0h até às 23h59 de sexta-feira. 

A cifra representou um crescimento de 5,8% em relação a 2020. Para 2022, a estimativa é de R$ 6,05 bilhões. 

Ou seja, a Black Friday é um dos períodos onde mais se vende no Brasil.

E isso quer dizer que, acreditando nos descontos ou não, você estará mais propenso ao consumo.

É aí que surge a preocupação “como certificar que estou diante de uma promoção verdadeira?”

Vamos a algumas dicas!

1 - Utilize comparadores de preços!

Existem sites, plataformas e aplicativos que comparam preços, isso pode te ajudar a encontrar as melhores propostas, assim como saber se o preço não está baixo demais (o que muitas vezes significa que é um golpe).

Alguns dos comparadores de preços mais famosos são:

  • Zoom.

  • Buscapé.

  • Google Shopping.

2 - Pesquise, pesquise e pesquise (quanto antes você começar, melhor!)

O ideal é que você dê início às pesquisas do seu produto antes mesmo de novembro, só assim você vai saber se a compra de fato vale a pena ou se os preços simplesmente estão maquiados. 

3 - Tome cuidado com os golpes!

O preço estar muito abaixo do esperado é um sinal, tome cuidado!

Por isso, pesquise a fama da empresa por meio de plataformas como ReclameAqui.com e Consumidor.gov.

Tome cuidado com compras realizadas em redes sociais e links recebidos pelo WhatsApp, de preferência as evite.

Olhe o endereço do site que está comprando, veja se é real. Muitos golpistas estão construindo sites exatamente iguais aos de grandes varejistas justamente para enganar os consumidores.

4 - Caso tenha algum problema, documente tudo

Problemas com a entrega, com a qualidade do produto e até mesmo não envio são comuns.

E caso isso aconteça, você deverá seguir os seguintes passos:

1º - realizar uma reclamação na Plataforma Consumidor.gov ou ReclameAqui.com, no caso de negativa da empresa em resolver o problema, siga para o próximo passo;

2º - vá ao PROCON da sua cidade e formalize uma reclamação contra a empresa, caso isso não resolva, siga para o terceiro e último passo;

3º - entre em contato com um advogado especializado em Direito do Consumidor, ele poderá assumir a sua causa e auxiliar na defesa dos seus direitos!

Este conteúdo foi útil para você? Confira outros em minha coluna!

Leia tambem: Direito de Arrependimento do Consumidor: entenda!

 

Coluna Conversando Direito com João Carneiro 

Advogado Especialista em Direito do Consumidor Bancário - OAB/MS 24.014

 

Fontes dos dados e afirmações realizadas no post:

“Black Friday: por que lojistas preveem faturar menos mesmo com recorde de vendas” Disponível em: <bbc.com>. Acesso em 20.11.2022.

“Black Friday: de onde vem esse nome?” Disponível em: <bbc.com>. Acesso em 20.11.2022.

Câmara Brasileira da Economia Digital - camara-e.net. Disponível em: <https://www.camara-e.net/>. Acesso em 20.11.2022.

e-commercebrasil. Disponível em: <https://www.ecommercebrasil.com.br>. Acesso em 20.11.2022.

Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM). Disponível em: <https://abcomm.org/institucional/>. Acesso em 20.11.2022.

Dormindo, Luan é morto a golpes de faca e pauladas pelo ex da 'ficante'
INTERIOR
há 1 hora

Dormindo, Luan é morto a golpes de faca e pauladas pelo ex da 'ficante'

TCE-MS é referência na adequação à nova Lei Geral de Proteção de Dados
NOVA LEGISLAÇÃO
há 19 horas

TCE-MS é referência na adequação à nova Lei Geral de Proteção de Dados

Em janeiro, MS alcança receita de US$ 461,4 milhões em exportação
ECONOMIA
há 21 horas

Em janeiro, MS alcança receita de US$ 461,4 milhões em exportação

7 estratégias para transformar conteúdos de Reels em crescimento no Instagram
COMUNICAÇÃO
há 21 horas

7 estratégias para transformar conteúdos de Reels em crescimento no Instagram

Popó nocauteia Bambam em 36 segundos e ex-BBB leva R$ 6 milhões
'LUTA DO SÉCULO'
há 1 dia

Popó nocauteia Bambam em 36 segundos e ex-BBB leva R$ 6 milhões

Chanceler de Israel diz que 'brasileiros' apoiam massacre na Palestina e ataca Lula
GUERRA | ORIENTE MÉDIO
há 1 dia

Chanceler de Israel diz que 'brasileiros' apoiam massacre na Palestina e ataca Lula