17 de abril de 2024
Campo Grande 21ºC

Agronegócio paulista tem superávit superior a R$ 11 bilhões em Janeiro

A- A+

Em janeiro de 2024, o agronegócio paulista exportou R$ 11,1 bilhões, um aumento de 18% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Os dados, divulgados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, também indicam que as importações totalizaram R$ 2,45 bilhões, refletindo um incremento de 11,4%.

Com esses resultados, a balança comercial do agronegócio paulista alcançou um superávit de R$ 8,65 bilhões, evidenciando um crescimento de 20,1% em relação a janeiro de 2023.

No cenário estadual, as exportações do agronegócio paulista corresponderam a 42,4% do total, enquanto as importações setoriais representaram 8,1%.

Os cinco principais grupos de produtos nas exportações agrícolas paulistas em janeiro de 2024 destacaram-se pela sua representatividade:

Complexo Sucroalcooleiro: Liderando as exportações com R$ 4,68 bilhões, esse grupo teve o açúcar como destaque, representando 92,8% do total, enquanto o álcool etílico (etanol) contribuiu com 7,2%.

Setor de Carnes: Com R$ 1,25 bilhão, principalmente impulsionado pela carne bovina, que respondeu por 84,4% desse montante.

Grupo de Sucos: Totalizando R$ 1,21 bilhão, sendo 98,9% referentes ao suco de laranja, evidenciando a importância desse produto nas exportações.

Produtos Florestais: Alcançando R$ 1,11 bilhão, com relevância para celulose (49,1%) e papel (43,5%).

Demais Produtos de Origem Vegetal: Com R$ 477,75 milhões, esse grupo incluiu óleos essenciais, com 60% de participação, principalmente de laranja.

O setor sucroalcooleiro, com participação de 42,2% nas exportações, registrou aumento de 50,4% em valores e 36,1% em volumes. Destacam-se as vendas externas de açúcar, com incremento de 76,3% em valores e 44,6% em volume.

Apesar do desempenho positivo, desafios podem surgir diante da variação nos preços médios dessas commodities, como aumento de 22,1% para açúcar em bruto e 16,3% para o refinado.

Os principais destinos desse grupo incluem Índia, China, Marrocos, Indonésia, Iraque, Emirados Árabes Unidos, Nigéria, Argélia e Arábia Saudita.

Fonte: Pensar Agro