22 de junho de 2021
Campo Grande 28º 16º

Desafio da Sepaf é organizar a produção no Estado

O secretário da pasta disse que, além de organizar a produção, deve-se trabalhar para criar polos de produção

A- A+

Tomou posse na manhã de hoje, Fernando Mendes Lama, que ficará à frente da Sepaf (Secretaria de Produção e Agricultura Familiar). O novo titular já tem vários desafios, e um deles é organizar a produção no Estado, ouvindo o segmento e criando assim, polos de produção.

Hoje Mato Grosso do Sul, importa 85% dos produtos alimentícios de estados como São Paulo e Paraná, para Fernando, deve-se trabalhar de maneira que, além de produzir se organize a produção. “Se eu, por exemplo, vou cultivar mandioca, tenho que saber para quem vou vender, qual a exigência do consumidor, qual a época do ano para se plantar, qual embalagem utilizar. O maior desafio não é produzir, mas organizar a produção, pensando no mercado local”, disse.

O governo vai buscar ouvir o setor e criar polos de produção, explorando assim o potencial de cada região, as condições de solo e clima, já que cada uma tem sua vocação, investindo também no pequeno produtor. “O governo tem que prover o pequeno produtor de políticas públicas que possam assegurar esse crescimento. A política que julgo interessante é trabalhar no sentido de organizar essa produção. Se não organizar, acaba não competindo e com isso vamos continuar importando de outros estados”, acredita.

Expansão: O Estado possui hoje mais de nove milhões de hectares degradados, e a expansão do setor pode ser realizada nesta área, que, segundo Fernando é um local que possui grande potencial de trabalhar.

Exemplo citado foi a região de Três Lagoas, onde é possível incorporar o sistema produtivo de corte em um milhão de hectares de uma só vez. A região tem a economia baseada no corte e silvicultura. “Esses hectares além de aumentar a oferta de grãos, vai melhorar a produtividade da pecuária de toda a costa leste.  A expansão não é voltada só para Três Lagoas, mas esta região tem potencial e está estrategicamente bem posicionada”, concluiu.