26 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Chiquinho Telles defende mais investimentos para Moreninhas e afirma que falta a Bernal diálogo e vo

O MS Notícias traz uma entrevista exclusiva com o vereador Chiquinho Telles (PSD), que, além de fazer um balanço sobre seu primeiro ano de mandato, antecipou planos para o futuro e novos projetos que pretende viabilizar para região das Moreninhas. Assista a entrevista na íntegra em vídeo e leia também também o resumo da entrevista, gravada em 16 de janeiro de 2014.

Por Heloísa Lazarini

MS Notícias: Qual é hoje a maior necessidade da região das Moreninhas e quais os avanços conquistados em 2013?

Chiquinho Telles – A Moreninha precisa de imediato de uma outra via de acesso. Hoje só temos uma, e isso é muito pouco, pois o fluxo de carros é muito grande, afinal temos uma população de quase 70 mil habitantes. É importante construir uma nova via de acesso, pois assim teremos mais gente se direcionando para a região. A via é tão importante que dependemos dela para viabilizar a construção do Shopping das Moreninhas, que é um investimento de R$ 100 milhões e que irá gerar dois mil empregos diretos.

Além do Shopping, outra meta é construir um hospital que atenda a população dentro da Moreninha, que já é uma cidade. Hoje, as pessoas se deslocam de lá para o centro de Campo Grande para vir na Santa Casa por exemplo. Isso é um sonho, mas eu não quero que fique só no sonho. Nossa região precisa também de asfalto, nosso asfalta já não presta mais, ele foi feito na época do Pedro Pedrossian, sem drenagem, de qualquer jeito. A questão é que nós crescemos muito e a infraestrutura é a mesma.

MS Notícias: Em relação à abertura de uma via de acesso próxima ao Shopping das Moreninhas, por que buscar apoio na esfera estadual?

Chiquinho Telles - O primeiro com quem eu tive contato foi com o prefeito. Levei os empresários ao prefeito, que são do mesmo grupo que construiu o Shopping Campo Grande, juntamente com os vereadores da Comissão de Indústria e Comércio. Levamos ao Bernal o projeto e ele não deu importância. Ele pegou o documento e falou que veria depois, como se fosse uma indicação qualquer, e não é. É um investimento de R$ 100 milhões. Não tendo esse retorno do município, nós recorremos ao Estado e o André (governador André Puccinelli – PMDB) me disse que quer deixar uma marca nas Moreninhas. Ele disse assim: “se prefeito não se manifestar eu faço”. Então, eu acredito que o Shopping irá se concretizar através do Estado. Está mais fácil o André fazer do que o município com quem não temos esse contato. Ano passado, não foi só essa via de acesso que o Bernal não deu atenção, foi para a cidade inteira.

MS Notícias: Quando o vereador decidiu aderir à oposição ao prefeito?

Chiquinho Telles - Não sou oposição ao Bernal, mas sim à incompetência generalizada da administração. Tudo que veio para esta Casa veio errado. A Comissão de Orçamento desta Casa trabalhou demais para organizar tudo. Não digo que tenha sido de má fé, mas inexperiência e inabilidade do executivo existem. Sou oposição responsável e tudo que veio para esta Casa eu votei. Os bons projetos eu aprovei, como o empréstimo de R$ 432 milhões para asfaltar a região norte, que até hoje a população não viu o dinheiro, mas ele foi liberado.

Se for para trocar o secretariado por incompetência tem que trocar todos, com exceção do Semy Ferraz (secretário de obras), que tem nos atendido na medida do possível. Já os outros eu não vejo a mesma coisa. O Ben Hur tem vontade política, o Pedro Chaves é bom para trabalhar. Tomara que ele (Bernal) ouça o Pedro Chaves, o Ben Hur e Semy, assim ele vai se dar muito bem.

Eu comecei minha oposição quando abri o microfone do meu programa da rádio, que faço a há oito anos, e pedi para ele (Bernal) dar uma informação simples. Ele entrou de sola para cima de mim. Como estava no link ao vivo e ele não sabia que era meu programa, ele foi dizendo: “tem vereador que foi eleito por sorte e está me atrapalhando, puxando saco do Antônio João”. Isso me deixou chateado. O despreparo e desrespeito me deixaram chateado, a partir daí apresentei a primeira nota de repúdio a ele, porque isso não é papel de chefe do executivo. Foi aí que comecei a não concordar com a metodologia de trabalho dele, que já passou por esta Casa, mas mesmo assim começou a atacar vereadores, por isso comecei a me afastar.

MS Notícias: A saída de Bernal da administração da prefeitura seria a solução para Campo Grande?

Chiquinho Telles – Você acha que estou feliz? Você acha que a Câmara está a feliz em ter o prefeito no fio da navalha? Não está. Você acha que participei da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Calote feliz? Não. Queira que estivesse tudo bem. O Bernal só precisa de uma coisa: vir na Casa e se explicar. A CPI do Calote fez o papel dela. Eles enviaram documentos, pela metade, mas enviaram. Tudo que foi copiado na Comissão constava nos documentos que a prefeitura mesmo entregou.  Se ele vier até à Casa e provar que não tem culpa, aí sim podemos fazer governo que seja bom para população.

MS Notícias: É possível restabelecer diálogo com Bernal?

Chiquinho Telles - Eu fui atrás do Bernal e do Pedro Chaves, o Pedro Chaves me atendeu e na sexta-feira próxima (dia 17 de janeiro) teremos outra reunião com Semy e Ivandro (secretário de saúde). O Bernal tem que entender que ele tem que trabalhar para o povo e não para mim. Ele tem que parar com essa besteira de falar assim: "Se você não vier para base, eu não troco a lâmpada no seu bairro". Ele tem a autorização do povo para trabalhar. São 270 mil pessoas que votaram nele. E ele continua dizendo que a Câmara não o deixa trabalhar. Ele está amarrado? Basta ver o Semy, é só ligar para o Semy e ele vai ou então estamos com uma 12 apontada para ele? Das 23/24 sessões comunitárias que fizemos, levamos, para o prefeito, indicações que vieram do povo e ele não deu atenção, aí o vereador que está atrapalhando? É logico que tem uma herança, uma herança maldita, como eu digo, da administração anterior. A saúde nunca foi 100 %, mas piorou. Os reparos e limpeza na cidade eram constantes. A limpeza tem que ter programação. As equipes vão nos bairros e limpam as principais ruas e esquecem o resto. Faz tempo que você não vê cidade capinada, varrida. A única empresa que, mesmo sendo investigada pelo MPE (Ministério Público Estadual), tem realizado este trabalho com qualidade é a Solurb.

Biografia

Nome Completo: Francisco Almeida Telles

Idade: 44 anos Naturalidade: Fátima do Sul Trajetória profissional: Chiquinho Telles se mudou para Campo Grande em 1989. Assim que chegou à Capital, o vereador foi morar na região das Moreninhas e desde então nunca saiu do bairro.  Em 2001 ele se tornou presidente da Associação de Moradores de Bairro das Moreninhas, cargo que ocupou até 2005, e foi justamente nesta época que Chiquinho descobriu sua vocação política, ao ouvir as reivindicações da população e começar a trabalhar para resolvê-las. Em 2000, Chiquinho saiu candidato a vereador pelo PRB (Partido Republicano Brasileiro), mas não se elegeu. Em 2011, Chiquinho entrou para o PSD (Partido Social Democrático) e no ano seguinte, ele sr tornou o primeiro vereador eleito pelas Moreninhas. Confira também a entrevista na íntegra em vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=eC0e44v0Ioo&feature=youtu.be