24 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

OBRAS PÚBLICAS | CAMPO GRANDE

Esgoto: moradores celebram fim do "mau cheiro" e agradecem reportagem

Foram 4 anos de espera; Águas Guariroba inicia obra em rua para ligar esgoto de "esquecidos" em região da Capital

A- A+

A reportagem do MS Notícias foi até a Rua Cotegipe, no Bairro Nossa Senhora das Graças, em Campo Grande nesta manhã (3.ago.21), onde está sendo iniciada escavação que colocará fim a um problema que deveria ter se encerrado há 4 anos, mas que somente nesta terça começará a ter um fim. “Somos imensamente gratos a vocês do jornal que fizeram uma pressão para a Águas terminar isso, que nós aqui havíamos sido esquecidos, em volta está tudo com esgoto e a gente vê agora o fim desse “mau cheiro” que escorria aqui na rua e incomodava a todos”, celebrou a comerciante Patrícia de Menezes, moradora há mais de 20 anos no bairro.

Como mostramos em reportagem aqui no MS Notícias, o trecho da Rua Cotegipe entre as ruas Doutor Jaime Ferreira de Vasconcelos e Rua Maria Izabel Couto Pontes, havia sido esquecido quando a concessionária da Capital, Águas Guariroba, fez as redes de esgoto na região. À reportagem, a Águas prometeu que o trecho receberia a rede em, e iniciou os trabalhos nesta terça.  

Esta é Patrícia de Menezes, comerciante que celebrou o fim do transtorno de esgoto escorrendo na rua e agradeceu a reportagem. Esta é Patrícia de Menezes, comerciante que celebrou o fim do transtorno de esgoto escorrendo na rua e agradeceu a reportagem. Foto: Tero Queiroz | MS Notícias 

SOBRE ISSO - Obra em outro canto: rede de esgoto no Coophasul ainda não foi retomada

Segundo a concessionária, são 389 metros de rede de esgoto a serem feitas. A rede será ligada a 25 imóveis e o equivalente a 75 pessoas devem ser beneficiadas. 

Os serviços de instalação devem ser finalizados até 12 de agosto, diz concessionária.  Os serviços de instalação devem ser finalizados até 12 de agosto, diz concessionária. Foto: Tero Queiroz | MS Notícias 

Para a moradora Francisca, de 78 anos, a chegada do esgoto põe fim a um drama diário. “A gente ficava aguentando essa água fedorenta escorrendo aqui na frente da casa todo dia. Porque a fossa ali, a nossa vaza, a gente esgota, mas não adianta mais, toda semana gastava mais de R$ 250 esgotando, quando na semana seguinte estava cheia de novo. Graças a Deus, a vocês e o pessoal aí da Águas resolveram isso aqui”, disse a moradora do bairro há 15 anos. 

RELACIONADA - Águas visita moradores hoje e neste mês promete iniciar obras de esgoto 'em trechos esquecidos'

As obras no local regularizam a situação dos moradores com a legislação municipal que estabelece no Art. 10, do Decreto (nº 14142) de 12 de fevereiro de 2020 - que trata do Regulamento dos Serviços Públicos de Abastecimento de Água, de Coleta e de Tratamento de Esgoto que não é permitida a utilização de fossas ou outras formas para esgotamento sanitário em locais onde estiver disponível a rede coletora de esgoto, conforme art. 45, § 1º, da Lei Federal nº 11.445/2007. 

Esgoto deve ser ligado a 25 imóveis no trecho de pouco mais de 300 metros na Cotegipe. Esgoto deve ser ligado a 25 imóveis no trecho de pouco mais de 300 metros na Cotegipe. Foto: Tero Queiroz | MS Notícias

Após o ligamento da rede, todos os 25 imóveis da Cotegipe deverão desativar as fossas, aterrando-as. 

Caso o morador não migre à rede de esgoto é taxado no valor de R$ 835,89, no caso dos que migraram na Cotegipe estão isentos, pois, não havia a rede disponível obrigando-os a usar a fossa como única alternativa.

A concessionária pretende finalizar as obras na Cotegipe até o dia 12 de agosto.

Este é Noel Catarino, comerciante na Rua Cotegipe. Este é Noel Catarino, comerciante na Rua Cotegipe. Foto: Tero Queiroz | MS Notícias

O comerciante locatário, Noel Catarino, de 54 anos, celebrou que os clientes de sua barbearia não serão mais submetidos ao mal cheiro da água que escorre próximo ao seu comércio. “Esse esgoto está trazendo bastante benefício, principalmente para Rua Cotegipe. Eu sou locatário aqui e esse esgoto trazia muita incômodo e sujava muito o ambiente. Estou a dois anos e meses aqui e essa água aí escorrendo, eles reclamavam, que bom que depois das reportagens aí, conseguimos, né? Por um fim nesses problemas”, finalizou. 

A reportagem acompanhou a movimentação das máquinas no local e verificou que a escavação teve início no cruzamento da Cotegipe com a Maria Izabel Couto Pontes. O local está devidamente sinalizado.