05 de dezembro de 2020
Campo Grande 30º 24º

CORUMBÁ

Em meio a pandemia, prefeito estende contrato milionário com irmão

Pandemia não incomoda gestão que livra negócio familiar da lista de contingenciamento de gastos

A empresa J.B.A.IUNES -ME., de José Batista Aguillera Iunes, acaba de ser beneficiada com um novo fôlego financeiro junto aos cofres públicos controlados pelo irmão, o prefeito corumbaense Marcelo Iunes (PSDB). Em plena crise com a pandemia do Covid-19, prefeituras de todo País cortam gastos e adotam medidas de austeridade para garantir verbas à saúde e setores da linha de frente no combate e prevenção ao coronavírus. 

Mas a Prefeitura de Corumbá pulou essa parte para publicar no dia três de abril o Extrato do 1º Termo Aditivo ao contrato administrativo para "prestação de serviços de exames de diagnósticos de imagem e/ou laboratoriais, procedimentos cirúrgicos e/ou consultas médicas na atenção especializada nº 018/2019".

Em miúdos: trata-se da prorrogação por mais seis meses do contrato de R$ 982 mil feito sem licitação entre a Prefeitura e a J.B.A. A transação foi denunciada, porém até agora a denúncia não encontrou acolhida por parte dos órgãos de fiscalização e de julgamento, apesar das evidências de irregularidades.

Uma das evidências é o laço de parentesco, e de primeiro grau, entre quem determina e libera os pagamentos, o prefeito, e quem recebe, o seu irmão. É uma versão grosseira de maquiagem de parceria publico-privada sustentada por uma inexigibilidade de licitação adotada de forma suspeita..

A empresa nasceu com outro nome - o de fantasia, Citolab Laboratório Clínico - e dois sócios, Amanda Cristiane Balancieri e José Batista Iunes, esposa e irmão de Marcelo. Depois virou ACB e por fim JBA Iunes. Segundo o Portal da Transparência, até antes desse aditivo haviam sido pagos R$ 982 mil entre 2017 e 2019 à afortunada JBA.