30 de novembro de 2021
São Paulo 39º 24º

Após suposto erro médico família pede exumação do corpo de criança de 1 ano e três meses

A- A+

O presidente da Associação de Vítimas de Erros Médicos Valdemar de Souza Moraes esteve nesta quinta-feira (3), na delegacia de Ribas do Rio Pardo – distante 102 quilômetros de Campo Grande – com a intenção de pedir a exumação do corpo de uma criança de 1 ano e três meses.

Segundo Valdemar o delegado Rafael Kenji está em dúvida sobre a exumação do corpo da criança, e o pedido não foi aceito de imediato “o delegado está em dúvida sobre o laudo e pediu outros documentos que prove a real necessidade de uma exumação”, comenta Valdemar.

Ainda de acordo com o presidente da Associação, nesta sexta-feira (4), ele irá procurar um advogado para entrar com uma medida cautelar que garanta a exumação do corpo “se foi um erro médico, eles não vão querer fornecer um documento que comprove qualquer coisa e favoreça a exumação, então vou entrar na justiça para garantir que o corpo seja exumado”.

O MS Noticias entrou em contato com o delegado Rafael que disse estar analisando os fatos, para então autorizar ou não esse procedimento “ eu já ouvi os familiares da criança, que disseram ter dúvidas sobre a real causa de morte da mesma, agora eu vou ouvir a Secretaria de Saúde e analisar alguns documentos”, disse Rafael.

Segundo o delegado uma exumação é uma medida drástica geralmente usada em negligência ou prática de crime, só a dúvida da morte não seria motivo suficiente, mas como houve o manifesto da Associação de Erros Médicos é possível que a exumação aconteça “estou aguardando uma resposta da Secretaria de Saúde para que esse caso se resolva o mais rápido possível” conclui Rafael.

O caso

Segundo a mãe da criança, ela levou a filha pela primeira vez ao hospital na segunda-feira (23), depois desse dia esteve por várias vezes no mesmo hospital, pois a criança não apresentava melhora.

A criança morreu na noite de domingo (28), por volta das 19h30. De acordo com atestado de óbito, a causa da morte seria meningite. “Ribas não faz exame de meningite. O médico disse que evolução do quadro foi rápido por isso ocasionou meningite. A minha filha tinha todas as vacinas completas”, disse Cristielen Silva França. Segundo ela, só existe um pediatra na cidade que atende em um posto de saúde. No momento em que a filha foi para hospital, não havia pediatra. “Demorou muito para internar, das 11h às 19h30. A única coisa que queremos é saber o que aconteceu com minha filha”, disse.   ?