22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

IBGE divulga retração de 3% em vendas no varejo

A- A+

Números do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta quarta-feira 14) apontam um recuo de 0,9% no comercio em comparação do mês de Julho para agosto. No acumulado do ano a retração é de 3%, sendo o pior resultado desde 2003 que na época a economia brasileira passava por uma instabilidade parecida.

Com a inflação comendo os bolsos dos brasileiros, o cambio da moeda americana instável deixando o Dólar em patamar elevado, as taxas de juros dos cartões rotativos mais altos do mercado deixa o consumidor cauteloso e isso se reflete no comercio que sente o peso da economia em retração no país. A gerente da coordenação de serviços e comércio do IBGE Isabela Nunes avalia que "com a desaceleração da renda real e uma pressão inflacionária, as famílias têm menos renda disponível. Portanto, elas reveem seus hábitos de consumo, cortando itens mais supérfluos para não desequilibrar o orçamento doméstico e mesmo não entrar num endividamento"

Em comparação ao mesmo período do ano passado a queda é ainda mais acentuada de 6,9%, segundo IBGE. Setores de veículos e motos, partes e peças ajudaram no saldo negativo (-5,2%), seguido de livros, jornais, revistas e papelaria (-2,6%), material de construção (-2,3%), móveis e eletrodomésticos (-2,0%) e tecidos, vestuarios e calçados (-1,7%). “O comércio reage a uma conjuntura que até agosto vem evoluindo da forma que a gente mostrou hoje, com trajetória descendente desde o final do ano passando", disse Isabela.

No Mato Grosso do Sul houve uma desaceleração da economia, porém foi menos aguda que no restante do país, no acumulado do ano (de Janeiro a agosto de 2015)  o índice é de 0,3% no volume de vendas no comércio varejista. Em comparação ao mês de julho a queda foi de (-1,7%), nos últimos 12 meses aponta um índice de 1,5%.