22 de maio de 2024
Campo Grande 28ºC

ECONOMIA

Vander Loubet e presidente do CETER/MS comemoram isenção do IRPF

A correção da tabela evitará que os trabalhadores sejam penalizados pela inflação

A- A+

Em reunião nesta 6ª.feira (28.abr), no Escritório Político do Líder da Bancada, o Deputado Federal Vander Loubet e o Presidente do Conselho Estadual do Trabalho- CETER /MS, Eduardo Pereira, comemoraram  a isenção do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), confirmada pelo Ministro do Trabalho, Luiz Marinho. Com as mudanças anunciadas, mais de 13 milhões de brasileiros deixarão de pagar o que equivale a 42% dos declarantes de 2022.

Vander destacou que a isenção, que agora será até R$2.640, é uma medida justa, urgente e necessária, uma vez que os trabalhadores com renda mais baixa já sofrem com uma série de dificuldades e desafios financeiros.

A correção da tabela evitará que os trabalhadores sejam penalizados pela inflação e terão uma maior proteção financeira, pois irá reduzir a quantidade de impostos que os trabalhadores têm que pagar.

As medidas são parte do compromisso do Presidente Lula (PT), que busca promover políticas fiscais mais justas e equilibradas, levando em conta as diferenças de renda e as necessidades dos trabalhadores.

“Quero parabenizar o Eduardo, e todos os dirigentes do CETER-MS, que tem inovado neste papel de dirigente, que  sempre tem buscando diálogo com os congressistas do MS, com o governo estadual e com o setor patronal, em defesa  dos interesses dos trabalhadores e contribuindo para a construção de um país mais justo e solidário”, pontuou o Deputado.

Eduardo considera necessário que essas medidas sejam fortalecidas e ampliadas, para que mais trabalhadores possam se beneficiar delas. “É preciso que a justiça fiscal seja uma prioridade em nossa sociedade, de modo que os recursos financeiros possam ser distribuídos de forma mais equitativa e justa. O Conselho Estadual do Trabalho do Mato Grosso do Sul seguirá lutando por essas demandas, em defesa dos direitos trabalhistas e da dignidade humana”, concluiu.