18 de junho de 2021
Campo Grande 27º 15º

CAMPO GRANDE | SOLIDARIEDADE

Mãe e filha com 60 animais resgatados pedem 'socorro' para evitar corte de energia

"Ficaremos sem água pois aqui não temos Águas Guariroba, só poço artesiano e a bomba que enche a caixa é elétrica", explica a protetora de animais

A- A+

A bióloga, Marluce da Costa, de 29 anos e a técnica em eletrônica, Lucineide Francisco Alexandre, de 47 anos, estão literalmente pedindo ‘socorro’ para quitar três contas de energia em atraso na casa onde vivem na Jardim Nhanha, em Campo Grande, e seguir ajudando cerca de 60 animais resgatados das ruas. 

Elas são mãe e filha que atuam como protetoras de animais desde 2009. “Há 27 dias estamos pedindo ajuda para pagar três contas de energia que estão em aberto, porém não recebemos nenhuma contribuição, aí hoje recebemos a 4ª fatura... Se cortarem a luz vai ser um efeito cascata. Ficaremos sem água pois aqui não temos águas guariroba, só poço artesiano e a bomba que enche a caixa é elétrica, então além de calor e falta de limpeza nossos 60 animais também passarão sede”, explica a tutora. 

A mãe, Lucineide, conserta eletrônicos para manter as contas da casa, mas diante da pandemia o volume de serviços diminuiu.

“Além das contas de luz, precisamos de ajuda também com ração para os cães e produtos de limpeza”, diz  Marluce, que no momento está desempregada. Para conseguir ajuda nas redes, Marluce posta com frequência a felicidade dos animais ao receberem um 'pratinho' de alimento.  

Até o momento a dívida que precisa ser quitada é de 3 faturas que somam um total de R$1879,31. O corte do fornecimento de energia está suspenso até 30 de junho para consumidores cadastrados na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), o caso de mãe e filha, apesar disso, a dívida acumulada não impedirá que a concessionária de energia interrompa o fornecimento após o prazo. 

Mãe e filha não possuem uma ‘Organização Não Governamental (ONG)’, apenas mantém uma página do Facebook: 'Ajudem a HotDog e o Ajax' e ainda, pedem doações no Instagram nas duas contas: @cachorra.princesa e @ajudem.a.hotdog.e.o.ajax. “'Ajudem a HotDog e o Ajax' não é ONG nem abrigo, mas sim um projeto pessoal voltado para resgate e adoção de animais. Graças a contribuição de vocês que vários inocentes são salvos e hoje podem desfrutar de uma vida digna”. 

Todos os animais são cuidados até serem adotados. Conforme Marluce, não há apenas gatos e cachorros no imóvel. Elas também tem entre os resgatados aves e roedores.

Marluce abriu uma vakinha online para arrecadar o valor. Ela disse à reportagem que apesar disso, as pessoas que quiserem doar diretamente podem enviar por PIX (basta enviar no lucineidef6@gmail.com).

Mãe e filha sempre fazem prestação de contas, referente aos tratamento de animais, bem como, compra de alimentos e neste caso, será feita a prestação de contas da quitação da dívida. Clique AQUI para ajudar por meio de doação no site da vakinha.  

DÍVIDA 

Para salvar a vida do gatinho Écolino, Marluce precisou levá-lo à clínica veterinária Veth Clin em 2018. O bichano foi acometido por um câncer e diante de várias orientações, Marluce dicidiu primeiro socorrer Écolino e depois fazer arrecadação do valor que viesse a dar o seu tratamento.

No entanto, até hoje a protetora não conseguiu saldar a dívida e acabou tendo o nome negativado. Em 6 de abril desse ano ela acabou sendo judicializada pela dívida. "Agora há pouco recebemos a visita de um oficial de justiça com esta intimação para cobrar nossa dívida na Veth Clin... Gente, eu nem tenho mais nada a dizer além do que já foi explicado nesse post feito 10 meses atrás", lamenta num post na rede social do projeto.  

Ontem (9.junho.21) extrapolou o útimo prazo de quitação da dívida, apesar disso, Marluce disse não ter como pagar e pede colaboração de pessoas que possam. O Écolino está bem atualmente, mas caso venha a precisar de ajudar veterinária em decorrência da doença, Marluce acredita que poderá ter ajuda negada, devido a dívida em aberto. "Tá ótimo graças a Veth Clin, ele passou por outros 3 vets até encontrar a Dra Thalita e a Dra Nicolle".  

AMOR POR ANIMAIS 

Na mesma casa em que vivem os bichinhos há cinco pessoas. Eles formam uma força tarefa para cuidar de todos os animais, mas a grande guerreira ao lado de Marluce é sua mãe.

Elas contam com três colaboradores fixos, que todo mês ajudam com ração e dinheiro. “Um deles nos apoia desde 2012, o restante é esporádico”, explica. 

A paixão por animais, de acordo com Marluce, tem ligação com a origem da família. O pai de Marluce é natural de Olinda (PE), e desde criança trabalhou em fazenda, lidando com bichos. “Tanto que de 2009 a 2012 a gente só lidava com aves silvestres, toda hora a polícia ambiental vinha aqui buscar o que a gente capturava, esses dias foi uma arara. E eu acabei me formando em biologia”, analisa.

“Meu pai diz que a mãe dele, minha falecida avó que eu não conheci, adorava gatos... minha mãe diz que quando criança tinha galinhas e outros pássaros... eu lembro de vários cães e gatos na casa da minha vó, acho que [a paixão por animais] é de família”, opina.  

Depois de dar vida ao projeto social de resgate de animais, Marluce classifica como uma das missões de vida manter-se firme ajudando. “É o nosso esteio, o motivo que nos faz acordar todos os dias, o que mantém nossa estabilidade emocional, não imaginamos mais nossa vida sem eles”, conta. 

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas para que o projeto se mantenha, Marluce é precisa ao afirmar que nunca pensou em parar de ajudar os animais e está cada dia mais imbuída da missão. “Jamais, nunca que a gente ia conseguir se desfazer de todos que estão conosco.... E nossa situação do jeito que está é muito difícil ter que recusar ajuda aos que a gente vê precisando, mas infelizmente não temos mais onde colocar e temos dívidas astronômicas... O mais difícil é ter sempre tudo que eles precisam, às vezes a gente tem que escolher se compra ração ou algum remédio, quem vai pro veterinário e quem vai sofrer em casa”, finaliza.

Os animais resgatados por mãe e filha são achados nas ruas, em sua grande maioria abandonados, recebem o lar e carinho de Marluce e Lucineide, em vídeo à reportagem, alguns cachorrinhos se arriscam na chuva para demonstrar tal carinho. Veja abaixo: