19 de maio de 2024
Campo Grande 20ºC

SAÚDE ALIMENTAR

Alimentação saudável: mil profissionais do SUS passarão por capacitação gratuita

O curso, com carga horária de 30 horas, apoiará 64 municípios brasileiros

A- A+

De acordo com o estudo publicado na The Lancet, a má alimentação é responsável por mais mortes do que qualquer outro fator de risco, incluindo o hábito de fumar. Somente em 2017, alimentação inadequada, ligada ao consumo de alimentos ultraprocessados, foi responsável por 11 milhões de mortes e 255 milhões de anos perdidos por incapacidades entre todas as pessoas adultas em escala mundial.

No Brasil, com 57% da população com sobrepeso em 2021, o Guia Alimentar para a População Brasileira (GAPB) 1, do Ministério da Saúde, em linhas gerais, traz orientações de que a escolha dos alimentos seja baseada na classificação que agrupa os produtos pelo grau de processamento.

Segundo a publicação, a regra de ouro para uma alimentação saudável é “preferir sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultraprocessados”.

Diante desse cenário, a BP — A Beneficência Portuguesa de São Paulo, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), do Ministério da Saúde, será o responsável por conduzir o projeto Qualiguia, que busca a qualificação de mil profissionais de nível superior da Atenção Primária à Saúde (APS) para a orientação alimentar individual a partir da série de Protocolos de Uso do GAPB. No âmbito da Educação Permanente em Saúde, o projeto vai avaliar Protocolos de Uso do GAPB e analisar as percepções dos gestores municipais sobre a intervenção do curso de formação no planejamento local das ações de qualificação da atenção nutricional.

Para o líder do projeto, o nutricionista e coordenador de projetos da BP, Dr. Rafael Marques, “a qualificação dos profissionais da saúde da APS sobre alimentação e nutrição com base nas recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira é essencial para garantir que uma das necessidades básicas dos seres humanos parta de premissas mais saudáveis e de modo a transformar a realidade nacional no que tange à reversão dessa tendência à obesidade”. 

A professora e coordenadora científica do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (NUPENS), Dra. Patrícia Jaime, “essa iniciativa tem o papel de impulsionar os profissionais de saúde a incorporarem essas diretrizes no seu cotidiano de trabalho e em suas práticas de cuidado”.

O curso, com carga horária de 30 horas, apoiará 64 municípios brasileiros e será ministrado por meio de uma ferramenta EAD para a qualificação da atenção nutricional e educação permanente em saúde. Esse curso será norteado pela Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) e pela Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PNEPS).

PROJETO QUALIGUIA 

  • Objetivo: Qualificação dos profissionais da Atenção Primária à Saúde para orientação alimentar individual, através da formação para utilização dos Protocolos de Uso do Guia Alimentar para a população brasileira;

  • Público-alvo: profissionais da Atenção Primária à Saúde;

  • Carga horária: 30 horas;

  • Período de inscrição: Cada um dos 64 municípios participantes terá um prazo para a inscrição exclusivo em 2023. Os cursistas receberão links de acesso individuais

Para inscrição e mais informações, clique aqui.

SOBRE O PROADI-SUS

O Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde, PROADI-SUS, foi criado em 2009 com o propósito de apoiar e aprimorar o SUS por meio de projetos de capacitação de recursos humanos, pesquisa, avaliação e incorporação de tecnologias, gestão e assistência especializada demandados pelo Ministério da Saúde.

Hoje, o programa reúne seis hospitais sem fins lucrativos que são referência em qualidade médico-assistencial e gestão: Hospital Alemão Oswaldo Cruz, BP — A Beneficência Portuguesa de São Paulo, Hcor, Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Moinhos de Vento e Hospital Sírio-Libanês.

Os recursos do PROADI-SUS advém da imunidade fiscal dos hospitais participantes. Os projetos levam à população a expertise dos hospitais em iniciativas que atendem necessidades do SUS. Entre os principais benefícios do PROADI-SUS, destacam-se a redução de filas de espera; qualificação de profissionais; pesquisas do interesse da saúde pública para necessidades atuais da população brasileira; gestão do cuidado apoiada por inteligência artificial e melhoria da gestão de hospitais públicos e filantrópicos em todo o Brasil. Para mais informações sobre o Programa e projetos vigentes no atual triênio, acesse o nosso portal.

Fonte: Ministério da Saúde: Guia Alimentar para a População Brasileira.