27 de fevereiro de 2021
Campo Grande 32º 22º

JUSTIÇA

Após tapinha na ex-amante e sofrer rejeição na igreja, pastor Dionizio processa fiéis

Sem esperar a justiça de Deus, pastor recorre a justiça dos homens

O pastor evangélico Antônio Dionizio da Silva, de 70 anos, líder da Igreja Assembleia de Deus Missões (ADM), em Campo Grande, está com um alto indice de rejeição dentro da instituição. Tudo teve início quando um vídeo onde ele aparecia dando tapinhas nas nádegas da suposta amante foi vazado na internet.

E sem esperar a justiça divina, ou uma resposta do céu, o pastor tenta estancar o problema nas redes sociais, com isso ele recorreu a justiça dos homens e abriu um processo contra uma pastora, uma missionária, um pastor e o site de notícias gospel (Conttei).

O processo está relacionado a publicações que tratam da separação do pastor e o suposto adultério, situações que ficaram evidenciadas após publicação de vídeo, em que ele daria tapinhas na bunda de ex-funcionária da igreja, Gleicy Motta. Que hoje é sua atual esposa. 

A ação foi protocolada e já está tramitando na 11ª Vara Cível de Campo Grande, sob responsabilidade do juiz Marcel Henry Batista de Arruda.

Os réus fiéis da ação de Antonio Dionízio são: uma ma pastora, que usou a hastag #vemcomigodandogloria em live divulgada no facebook, uma missionária do setor 1 e o pastor Sérgio Pinto de Arruda.

A ação

O pastor Antônio Dionizio entrou com ação de obrigação de fazer, com tutela antecipada, pedindo que o Facebook retire os vídeos divulgados pelas duas mulheres e que o site conttei.com.br também apague as publicações. Também pede a retratação da pastora e da missionária pelo que foi dito.

Em caráter liminar, a Justiça de Campo Grande não determinou a retirada das publicações, mas mandou que os envolvidos sejam oficiadas para responder em prazo de 15 dias.

A reportagem entrou em contato com o pastor Antonio Dionizio sobre o processo, mas ele não respondeu ao questionamento.