16 de abril de 2024
Campo Grande 24ºC

SOLIDARIEDADE

DJ Alok doa royaltieis de nova música para o Fraternidade Sem Fronteiras

O artista já esteve quatro vez na África acompanhando projetos da Fraternidade Sem Fronteiras

A- A+

‘Party On My Own’ é novo som lançado pelo DJ Alok neste final de agosto; a música uniu dois dos maiores nomes da música eletrônica brasileira, Alok e Vintage Culture. A música chegou às plataformas digitais na 6ª-feira (28. agosto). A faixa traz ainda participação do produtor e DJ FAULHABER.

O lançamento foi feito pela CONTROVERSIA Records, gravadora do Alok, que bateu 100 milhões de streams no Spotify e 50 milhões de acessos no YouTube em seu primeiro ano. O intuito da parceria é ajudar as instituições sociais Fraternidade Sem Fronteiras e AACD. Os artistas doarão os roayalties para as entidades. 

“Sempre nos alegramos e agradecemos iniciativas em prol da causa FSF. É engrandecedor saber do talento deste artista aliado a um compromisso social de impacto a tantas vidas”, agradeceu Andrei Moreira, diretor de Relações Públicas da Fraternidade sem Fronteiras.

Alok é padrinho e amigo da causa há quatro anos e desde então sempre apoia com diferentes iniciativas. Em maio, durante a Campanha Viver Fraternidade, participou da ação “Batida perfeita para fazer o bem”, quando foram vendidas 5 mil cafeteiras Lov, doadas pelo Grupo 3 Corações, e todo o valor arrecadado foi para a compra de cestas básicas.

No ano passado, Alok fez uma “vaquinha” ‘Educação e Fraternidade’ para a construção de uma escola na aldeia de Muzumuia, na África, onde está localizado o projeto Acolher Moçambique, da FSF.
 
O artista já esteve quatro vez na África acompanhando projetos da Fraternidade Sem Fronteiras. Em uma das visitas, ele fez um show para 8 mil pessoas e doou todo o cachê para a Fraternidade sem Fronteiras. Foram R$ 250 mil  destinados à construção de uma escola na aldeia 7 de Abril, em Moçambique/África. O local não tinha estrutura para receber os alunos, por isso, foi feita a construção de um novo prédio e hoje atende mais de 1.500 crianças.
 
“A jornada na África é a mais intensa da minha vida. É um choque de realidade. Fico impressionado com tudo que vivo aqui. Para onde você olha tem crianças andando sozinhas. O mais velho cuidando do mais novo, porque a maioria é órfã. Elas não vivem, sobrevivem”, relata Alok, sobre as experiências no continente africano. E complementa dizendo do trabalho sério e comprometido da Fraternidade sem Fronteiras em todos os dez projetos da instituição. “Eu faço questão de abraçar esta causa e ir até o fim com eles, porque eu vejo o quanto é eficiente e importante na vida dessas crianças”, disse Alok.

VEJA A NOVA MÚSICA DOS DJS