27 de maio de 2024
Campo Grande 15ºC

FURTO 'DESQUALIFICADO'

Durante furto, suspeito deixa cair carteira com documentos e 4 são presos

Levou maleta com chaves de oficina mecânica no Nova Lima

A- A+

Um grupo acabou preso suspeito de furto e receptação de ferramentas levadas às 5h da 2ª.feira (27.mar.23), de uma oficina mecânica na Rua Jerônimo de Albuquerque, no Nova Lima, em Campo Grande (MS).

Segundo o registro de ocorrência, o proprietário da oficina, de 32 anos, viu um dos suspeitos invadindo o local e ao sair, notou o suspeito fugindo. Porém, ao pular o muro da mecânica, o criminoso deixou cair carteira com suas documentações, o que serviu para levar à polícia até ele e mais dois comparsas.

Os documentos pertenciam a Adenilson Ferreira de Magalhães, de 34 anos. Com a identificação, a polícia diligenciou numa casa abandonada na Rua Amambai e por volta de 05h55, Adenilson foi encontrado escondido na casa abandonada. Ele confessou que invadiu a oficina, mas negou que tivesse furtado as ferramentas do local.

Adenilson disse à polícia que Ricardo Bonfim Machado também estaria envolvido na invasão à oficina. Então, a polícia foi até a Rua Nazira Anache, em frente a uma CEINF abandonada, onde localizou Ricardo. Ele confirmou que estava junto no momento da invasão à oficina, mas também disse que não furtou nada.

Ricardo, citou que Thiago Nunes Ferreira seria a terceira pessoa envolvida na empreitada criminosa. A polícia, então, localizou Thiago na Rua Hanna Anache. Esse último, confessou que invadiu a oficina e que furtou uma maleta de ferramenta, a qual vendeu para um receptador na Rua Passo Fundo. No local foi encontrado Luciano Conceição de Oliveira, apontado por Thiago como sendo a pessoa para quem havia repassado a maleta pelo valor de R$ 30.

Luciano, porém, negou ter comprado a maleta. Thiago insistiu que havia vendido a maleta para Luciano e que o mesmo teria escondido a maleta de ferramentas num terreno baldio do outro lado da rua. A polícia fez buscas e de fato encontrou a maleta no terreno.

O caso foi registrado na 2ª Delegacia de Polícia Civil como furto qualificado mediante concurso de pessoas, furto qualificado com destruição ou rompimento de obstáculo e receptação qualificada, se adquirir ou receber coisa que, por sua natureza ou pela desproporção entre o valor e o preço, ou pela condição de quem a oferece, deve presumir-se obtida por meio criminoso.