16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

Aquário do Pantanal

Egelte participa de audiência com Governo, mas exige auditoria para retomar obra

A- A+

Acontece na tarde desta quinta-feira (21) audiência entre empresa Egelte Engenharia Ltda e Governo de Mato Grosso do Sul. A audiência tem como objetivo conciliação entre empresa e Estado para que obras do Aquário do Pantanal sejam retomadas.

A Egelte foi empresa vencedora da licitação, no valor de R$ 84,7 milhões para construção do Aquário, porém, em março de 2014 deixou obra devido à subempreitada feita à Proteco Construções Ltda, do empreiteiro João Amorim, que é investigado pela Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica. Gravações de conversas telefônicas feitas pela PF durante investigação dão conta de suposto esquema com participação de pessoas do governo, na época administrado por André Puccinelli (PMDB), articulando saída da Egelte para que Proteco assumisse.

Em julho de 2015, após deflagração da Lama Asfáltica, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), determinou suspensão do contrato com Proteco e convocou Egelte, vencedora da licitação, para retomar obras, porém a empresa se recusa a dar continuidade ao serviço antes da realização de auditoria completa no Aquário, o que até momento ainda não aconteceu. Segundo assessoria de comunicação da Egelte, a audiência desta quinta-feira (21) que começará às 14 horas no Tribunal de Justiça tem sim como meta conciliação, porém, a Egelte mantém posicionamento de exigir auditoria completa da obra antes de retomá-la.