06 de dezembro de 2021
Campo Grande 34º 24º

UNIVERSO

Estudante brasileira descobre asteroide

Micaele Gomes participa de projeto ligado à Unesp

A- A+

A brasileira Micaele Gomes, de 16 anos, estudante do terceiro ano do Ensino Médio, da escola estadual de São José dos Campos, em São Paulo, descobriu, no último dia 15, nada mais nada menos que um asteroide.

Como isso foi possível?

Graças ao projeto Caça Asteroides, ligado à Unesp, e inscrito em um programa coordenado pela Agência Espacial Norte Americana – o International Astronomical Search Collaboration. A proposta da Nasa é contar com a colaboração de cientistas e cidadãos do mundo inteiro para descobertas sobre o universo.

No caso da Micaele, foram analisadas imagens captadas pelo telescópio do projeto Pan-STARRS1 que fica no alto de um vulcão inativo de cerca de 3 mil metros de altitude no Havaí

E não é que Micaele achou, com a ajuda de um software, um asteroide?

Ele foi identificado provisoriamente como P11bEV1 e agora terá características e órbita analisadas por astrônomos profissionais.

Logo após esse trabalho, que deve levar de 3 a 5 anos, será a vez de catalogar o objeto e, por fim, batizar o asteroide com um nome sugerido pela estudante. Sobre o nome que escolherá, a aluna diz que é uma escolha especial, mas que ainda levará um tempo.

A proposta será, então levada, à União Astronômica Internacional, órgão que designa estas identificações.

Micaele Gomes é uma cientista cidadã. E só conseguiu esta façanha por fazer parte de um grupo de cinco alunos organizado pela graduanda em Física da Unesp, Helena Ferreira Carrara, em colaboração com Observatório Astronômico de Bauru.

Ela, que criou o Caça Asteroides, destaca como o cidadão pode fazer parte de uma ciência inclusiva e que, na prática, ajuda as equipes de astrônomos profissionais e agências espaciais. 

A descoberta de Micaele motivou ainda mais os demais estudantes do grupo, que estão de olho em possíveis novos asteroides.