21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

#LUTO | COMUNICAÇÃO

Mestre do jornalismo em MS, Guilherme Filho morre aos 64 anos devido a Covid-19

O jornalista estava internado desde o dia 8 de dezembro vindo a óbito ontem (30.dez), após ser infectado pelo coronavírus

A- A+

O jornalista Guilherme Villalba Zurutuza Filho, de 64 anos, morreu nesta 4ª-feira (30.dez), durante a noite, após lutar desde o dia 8 de dezembro contra a Covid-19. O jornaista estava internado no hospital El Kadri, onde completou mais um ano de vida no dia 23 de dezembro.

Guilherme foi intubado em 15 de dezembro e apresentou melhoras, mas ontem apresentou agravo do estado de saúde, que o levou ao óbito, depois de ele desenvolver anemia, o que mobilizou familiares e amigos em uma campanha de doação de sangue no Hemosul.  

Guilherme Filho, iniciou sua carreira no jornalismo, aos 17 anos. Aos 21, já era editor em um dos principais jornais da época, o extinto Diário da Serra.

Em 1986, Guilherme assumiu o jornal O Panorama de Dourados e em fevereiro de 1992, começou a trabalhar no Correio do Estado, jornal da Capital, onde ficou até julho de 1996.

Em 1995 Guilherme comandou a equipe de comunicação da prefeitura, na gestão do André Puccinelli.

Era amante de política, conhecia os bastidores do poder. Ele comandou o setor de comunicação do governo de Mato Grosso do Sul nas gestões dos ex-governadores Puccinelli e Wilson Martins.

Guilherme percorreu todas as áreas do jornalismo de Mato Grosso do Sul, das redações de impressos, passando por televisão até chegar às rádios. Comandou a Comunicação da Assembleia Legislativa, Prefeitura Municipal de Campo Grande e Governo do Estado.

Era considerado por muitos um dos "mestres do jornalismo" em MS.  

A Subsecretaria de Comunicação Social do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul lamentou com pesar a morte do jornalista Guilherme Filho pela Covid-19. "A morte de Guilherme Filho abre lacuna no jornalismo de Mato Grosso do Sul, mas deixa legado de amor e fé na profissão", escreveu a gestão tucana.