19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Sensibilização

Meta de MS é aumentar número de transplantes por meio de campanha de doação de órgãos

Mato Grosso do Sul pode ter de 50 a 100 transplantes por ano, segundo estimativa do secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares. De acordo com o secretário a campanha de doação de órgãos lançada hoje (30) pelo governo do Estado tem por finalidade fomentar doações  e estimular a discussão entre as famílias, que conforme Tavares é a parte principal no processo imediato de transplantes."O ponto principal é  discutir o assunto. As pessoas têm de dizer a seus parentes  que em casos de uma fatalidade qualquer é um doador”, explica.

Na oportunidade, o superintendente de Atenção em Saúde de Mato Grosso do Sul, Salim Cheade, a Santa Casa de Campo Grande não realiza transplantes desde 2013, em função de problemas técnicos do hospital, comprometendo a fila de espera de pacientes no Estado. “ Tivemos apenas uma cirurgia inter vivos para transplante de rim, que ocorreu no mês de julho desse ano”, disse. 

De acordo com o governador Reinaldo Azambuja, a campanha fará com que as famílias passem a entender a importância da doação de órgãos. “É uma campanha educativa. Em 2015, 63 pessoas foram diagnosticadas com mortes cerebral, dessas 29 famílias foram contatadas e só oito permitiram doação de órgãos”, lembra.

Pelos dados da secretaria de Saúde, Mato Grosso do Sul registrou desde 1999 até 2015, 603 transplantes de ruins, e 2163 transplantes de córneas. “Estamos estabelecendo uma lógica regional de atendimento à saúde, por meio de ações da Caravana. A doação de órgãos faz parte dessa reestruturação da saúde”,  disse o governador.