28 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 22º

SOLIDARIEDADE

Na lista, noivos pedem tijolos e quadro negro para construir escola para crianças carentes

A cada real doado, o casal colocará mais R$1 para construção de escola em aldeia na África

A- A+

Taina e Renato pegaram o valor que seria gasto com a festa de casamento e doaram para uma campanha do Fraternidade Sem Fronteira (FSF) que fará a construção de uma escola na aldeia moçambicana de Matuba, na África. A meta é atingir R$ 220 mil para a unidade de ensino que, a princípio, terá capacidade para acolher 300 crianças.

A ideia de construir a escola partiu da cearense Taina Pessoa e o carioca Renato Marques, namorados há 2 anos e 8 meses, e radicados em Brasília. Eles foram a uma caravana voluntária da Organização humanitária Fraternidade sem Fronteiras (FSF) para Moçambique, na África. Antes da viagem, planejavam fazer uma festa de casamento em 2020.  Ao passar uma semana na África, o casal ficou impactado com o que viu naquele país. “Nosso conceito de celebração”, frisa Taina. “Mudou nossa perspectiva de vida”, arremata Renato.

Durante a caravana pelas aldeias, o casal participou da organização e distribuição dos produtos levados do Brasil (46 malas com roupas, sapatos, materiais de higiene, entre outros), e puderam se aproximar das crianças. “É um choque cultural muito grande”, comentou Renato. “Eles são gratos pelo pouquíssimo que tem. Vi idosos que nunca deitaram em uma cama sequer. Mas todos cantam, dançam, repartem, respeitam, esperam. Trazem a expressão da esperança”, reforçou.

O estado de um imóvel que servia de escola aos habitantes da Matuba chocou o casal. “Parede pau a pique, mobiliário todo quebrado, falta de banheiro e de energia elétrica, enfim, sem estrutura alguma”, relembram. 

Foi então que os noivos não pensaram duas vezes e decidiram investir em uma obra que fincaria raízes naquele pedaço de chão e deixaria como legado, “o principal instrumento de desenvolvimento: o conhecimento”, apontam, resolutos.

Para realizar o sonho de entregar àqueles habitantes da Matuba uma escola novinha, o casal firmou a parceria com a equipe voluntária de arquitetos da FSF. “Ao invés de gastarmos com uma festa de casamento e recebermos presentes de uma lista tradicional, optamos por investir os recursos em algo que pudesse contribuir para um mundo melhor”, explicou Taina, com o semblante de quem descobriu no próximo, a felicidade.

Vai funcionar assim: a cada real doado, o casal também doará um real. A execução do projeto e a gestão da escola serão realizadas pela Fraternidade sem Fronteiras, que já desenvolve projetos em cinco países da África e em vários estados brasileiros.

Para auxiliar na decisão do valor da doação, Taina e Renato (ambos fundadores do projeto social Formiguinhas da Alegria, em Brasília) apresentaram uma listinha com os preços aproximados de alguns itens essenciais para a construção da escola: quadro negro, R$ 750; carteira escolar, R$ 100; lata de tinta grande, R$ 250; milheiro de tijolos, R$ 500; mesa e bancos para o refeitório, R$ 1000, entre outros.

O casal fez questão de deixar claro que todo o andamento da obra e a aplicação dos valores serão publicados nas redes sociais. “Também divulgaremos fotos da construção em tempo real e estaremos sempre disponíveis para esclarecer eventuais dúvidas”, reiteram.

E O CASAMENTO?

A celebração terá a presença dos familiares, mas todos os “sonhadores” dessa jornada terão lugar garantido: a transmissão da cerimônia acontece no dia 7 de novembro, às 11h, ao vivo, pelo Instagram dos noivos. “Faremos uma grande festa no dia da inauguração da escola”, e arriscam até uma previsão do tempo: “Um ano e meio”.

Para doar para a campanha basta clicar no endereço: https://campanhadobem.com.br/campanhas/taina-e-renato