23 de maio de 2024
Campo Grande 24ºC

ECONOMIA

Open banking: como fortalecer as oportunidades no mercado?

A- A+

O open banking é uma das transformações que estão sendo introduzidas no setor financeiro com o objetivo de aumentar a competitividade do mercado, além da forte adesão ao Pix, um sistema de pagamentos instantâneos.

A adesão de ferramentas tecnológicas para gerenciar as atividades de produção, bem como a adaptação das empresas aos novos modelos de negócios, são um dos impactos do open banking.

Ainda que o open banking seja algo relativamente novo para o mercado brasileiro, muitas empresas já demonstraram que a inovação e a  adaptação podem ser grandes alentos para a criação de produtos personalizados e centrados no cliente.

ENTENDA O OPEN BANKING

O que é open banking? O Sistema Financeiro Aberto, ou Open Banking em inglês, é uma iniciativa iniciada pelo Banco Central do Brasil em fevereiro de 2021.

A meta do Sistema Financeiro Aberto é permitir que os clientes de diferentes instituições financeiras possam ter a autonomia e segurança para realizar o compartilhamento de dados com outras entidades participantes do sistema financeiro.

Os dados do cliente vinculado a uma instituição financeira somente poderão ser compartilhados com outras instituições, unicamente com o consentimento do cliente.

Para as empresas, essa mudança de cenário possibilita uma análise mais profunda e a definição do perfil dos potenciais clientes com dados mais precisos sobre as finanças desses usuários do sistema.

Entender o open banking, o que é e o seu papel chave nas dinâmicas do relacionamento  cliente-instituições é fundamental para identificar as oportunidades de negócio que podem ser aplicadas segundo o perfil de cada cliente.

Fonte: FreepikFonte: Freepik

FASES DO OPEN BANKING

A implementação do open banking no Brasil está ocorrendo de maneira gradual. De acordo com as informações do Banco Central, o funcionamento completo do sistema trará uma ampliação dos produtos e serviços oferecidos.

O Sistema Financeiro Aberto no Brasil foi estruturado em 4 fases, que abrangem:

  1. A abertura e compartilhamento de dados sobre produtos e serviços entre as instituições financeiras participantes;
  2. A habilitação do compartilhamento de dados  cadastrais, transações em contas e outras informações dos clientes.
  3. O acesso a serviços financeiros como pagamentos, encaminhar  propostas de créditos e compartilhamento de serviços de transferências entre contas do mesmo banco.
  4. A inclusão de novos produtos e serviços ao sistema, entre eles a possibilidade de contratação de operações de câmbio.

O futuro do open banking no Brasil é observado com grande expectativa pelo Banco Central e o Conselho Monetário Nacional, empresas participantes do sistema, como também por outros países latino-americanos, em especial México, que foi o pioneiro na regulamentação do open banking em 2018.

AS OPORTUNIDADES QUE OFERECE O OPEN BANKING

Os princípios e objetivos estabelecidos pelo Banco Central para o Open Banking  possibilitaram uma ampliação dos serviços e produtos financeiros oferecidos pelos diferentes participantes do sistema.

Além disso, integrar o sistema  financeiro aberto permite que os bancos, instituições de pagamentos, fintechs, cooperativas de créditos e outras organizações possam utilizar os dados compartilhados pelos clientes para direcionar produtos e soluções financeiras que sejam compatíveis e favoráveis ao momento financeiro do consumidor.

A autonomia dada ao cliente para escolher com qual organização compartilhar os seus dados representa uma oportunidade para as instituições que já estão trabalhando no aperfeiçoamento da comunicação da empresa com o público e investindo em produtos inovadores e com custos competitivos.

Fonte: PixabayFonte: Pixabay

O QUE É O OPEN BANKING PARA AMÉRICA LATINA?

A região tem um grande potencial de atuação dentro do ecossistema do open finance, devido a quantidade de usuários que ainda não são bancarizados na região.

Segundo o relatório apresentado pelo Banco Mundial, em 2020, 55% dos adultos na América Latina eram bancarizados, indicando como diversos modelos de negócios utilizando a tecnologia podem preencher essa lacuna no sistema financeiro, ao promover a inclusão financeira.

A adesão de soluções de  pagamentos digitais com a  utilização de Interfaces de Programação de Aplicações (APIS) é uma das tendências do mercado, principalmente entre as empresas que querem aumentar  a sua competitividade e elevar os seus rendimentos.