11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

Acordo não foi cumprido e pá-carregadeira é utilizada para destruir barracas de assentados, diz MST

O acordo firmado entre o Movimento Sem Terra (MST) e as forças policiais para a desintegração de posse de  mais de mil famílias que ocupam a Fazenda Saco do Céu, no município de Nova Andradina, não estaria sendo cumprido.

Segundo a assessoria do MST, a logística para retirada das famílias seria providenciada em conjunto, pela Fazenda Saco do Céu e a força policial, composta por  mais de 150 homens, comandada pelo tenente coronel Marcos Paulo. Conforme o acordo firmado entre as partes, seria utilizado um ônibus e mais 20 caminhões, porém até o momento só chegaram à propriedade seis caminhões, quantidade insuficiente para a retirada das mil famílias ocupantes da área, que somam cerca de dez mil pessoas.  

Também teria ficado acordado na manhã desta quinta-feira (3), que não seria feito o uso de força policial, violência e agressão às famílias. Mas, de acordo com a assessoria, enquanto o restante  dos caminhões não tinham chego, a polícia usou um trator ‘pá-carregadeira’ para destruir  a barracas e pertences de alguns assentados.  

O MST denunciou o descumprimento do acordo e uso de força policial  para a Secretaria de Segurança do Estado de Mato Grosso do Sul (Sejusp) para que sejam tomadas as devidas providências.

A Assessoria de Comunicação da Polícia Militar afirmou ao MS Notícias  que o Comando Geral da PM não tem nenhuma informação de que policiais militares de Nova Andradina  teriam utilizado um trator para destruir barracas dos assentados. Sendo assim, o comando não teria como se posicionar sobre o fato.