12 de junho de 2024
Campo Grande 23ºC

Após sonegar informações ao MPF, prefeito de Cassilândia é afastado

A- A+

Acusado de improbidade administrativa por omitir dados de sua gestão ao MPF (Ministério Público Federal), o atual prefeito de Cassilândia, Carlos Augusto da Silva, foi afastado da prefeitura por decisão judicial disponibilizada no último dia 30.

De acordo com o Dourados Agora, o administrador é acusado de improbidade administrativa por omitir dados de sua gestão ao Ministério Público Federal (MPF). Em um ano, 19 documentos enviados pelo MPF não foram respondidos pelo prefeito, parte deles entregues em mãos.

As informações solicitadas eram imprescindíveis para instruir quatro procedimentos investigatórios conduzidos pela Procuradoria da República no Município de Três Lagoas na defesa dos interesses dos cidadãos de Cassilândia. “A omissão do prefeito, além de violar o dever de prestar contas de sua administração, impede a fiscalização da gestão municipal”, destaca o MPF.

Segundo o órgão ministerial, “a atitude ímproba e ilegal de Carlos Augusto da Silva se repete em todos os procedimentos administrativos e inquéritos civis que versam sobre o Município de Cassilândia instaurados no MPF e no Ministério Público Estadual”.

 Dany Nascimento