25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

Corumbaenses sofrem com esgoto a céu aberto

A- A+

Os moradores da rua Dom Pedro II esquina com a alameda José Maciel de Barros, no município de Corumbá- distante 444 quilômetros de Campo Grande – há dez dias tem convivido com um esgoto a céu aberto, isso porque uma empreiteira abriu uma vala para colocação de manilhas e não concluiu o serviço.

De acordo com o Diário Corumbaense, moradores da região reclamam o mau cheiro, que causa desconforto aos que por ali passam. Os que têm comércio acabam tendo a clientela diminuída.

“Isso aqui está vazando fezes como vocês podem ver e até agora ninguém tomou providência nenhuma. Além do mau cheiro, é um perigo para as crianças também porque  essa manilha está cheia de água e deve estar cheia de mosquito da dengue que eles tanto querem combater, mas ninguém faz nada para mudar”, disse um morador Carlito Menegon.

Um comerciante disse que fez uma reclamação na Sanesul e a única resposta da funcionária que o atendeu é que iria mandar alguém para resolver, porém, nada foi feito.

O comerciante disse ainda que diversas crianças jogam bola próximo ao local, e quando ela cai no buraco, as crianças descem descalças buscar.

O Diário entrou em contato com Sérgio Philbis, gerente da Sanesul. Conforme explicou, a concessionária não é responsável pelo serviço, já que foi a empreiteira que presta serviço para a prefeitura que abriu a vala para a colocação de manilhas para passagem de águas pluviais. Como eles não conseguiram ligar as manilhas, acabaram fazendo a ligação com a rede de esgoto da Sanesul, causando o  problema.

Já o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos do município, Gerson da Costa Mello, informou que irá ao local pessoalmente verificar a situação. Ele confirmou que a prefeitura, por meio de uma empreiteira, está realizando naquela área a implantação de uma galeria de águas pluviais.

Tayná Biazus