22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

VIOLÊNCIA | INTERIOR

Idoso é achado morto com sinais 'velhos' de esganadura e jovem leva 2 tiros em Itaporã

Noite e manhã violenta no município de pouco mais de 25 mil habitantes, no interior de MS

A- A+

O primeiro caso é o de Manoel Messias da Silva, de 67 anos, encontrado morto neste sábado (30.jan.21) em uma residência na Vila União, em Itaporã, município sul-mato-grossense. Segundo a polícia, no pescoço do idoso haviam marcas de esganadura, mas eram muito antigas para estarem ligadas ao óbito. 

A família do idoso foi avisada por um amigo que esteve pela manhã na residência à Rua José Maques, quando encontrou Manoel em cima da cama já sem vida e acionou a polícia.

Ainda segundo os policias, os familiares disseram que alguns objetos e uma bicicleta do idoso não estavam na residência, indicando a hipótese de latrocínio.

Polícia Civil investigará se de fato foi latrocínio.

HORAS ANTES

O 2º caso no mesmo município, ocorreu ontem à noite (29.jan) em frente a uma casa na Rua Jeronimo Garcia do Nascimento, onde Josimar Aguiar de Souza, de 21 anos, foi atingido por disparos de arma de fogo enquanto mexia na parte técnica de um veículo. Segundo registro, a irmã de Josimar: "Julia" — teria socorrido o irmão —o levando em carro particular ao hospital da cidade.

A polícia foi até o Hospital, e chegando no mesmo foi avisada pela equipe de atendimento que Josimar teria dado entrada na unidade de fato por volta das 19h31, com 2 perfurações por disparo de arma de fogo: um tiro atingiu a nuca e saiu na axila, o outro projetil atingiu o antebraço direito de Josimar e ainda estaria alojado, que por isso a equipe de socorro enviou por volta das 20h19 Josimar para Dourados. 

Os policiais questionaram a equipe de socorro porque não acionaram a guarnição, os funcionários do hospital disseram que haviam muitas vítimas sendo atendidas no momento, que não se atentaram a informar os policias. 

O MS Notícias apurou que Josimar foi encaminhado ao Hospital da Vida, em Dourados, onde fizeram drenagem da perfuração. O projétil que atingiu o braço continua alojado. A irmã, Julia Aguiar, de 24 anos, falou ao site que ele segue estável em recuperação e disse não saber o que farão com o projétil alojado. "Vai ficar lá, foi o que o ortopedista me disse", explicou a jovem. 

Caso será investigado pela Polícia Civil.