18 de abril de 2021
Campo Grande 30º 19º

Itaporã foi escolhida por JBS para ter o maior frigorífico de perus da América Latina

Na tarde de ontem, (14), técnicos da JBS, Adriano Vicente Martins e Rodrigo Garziera, visitaram o prefeito Wallas Milfont para dar mais detalhes do projeto que já começa a ser colocado em prática no campo a partir do ano que vem. O projeto inicial prevê que Itaporã terá o maior frigorífico de abate de perus da América Latina e um dos mais modernos do mundo, o início dos abates está previstos para 2018.

A indústria receberá toda infraestrutura no antigo Frigorífico Pedra Bonita situado na MS- 270 – Zona Rural, recebendo incentivos do governo do Estado e do Município. Serão construídos um incubatório e uma fábrica de ração em 2016, bem como iniciarão as reformas no frigorífico. No campo os investimentos serão em torno de R$ 420 milhões de reais, serão construídos em parceria com produtores rurais, até a capacidade máxima do projeto, que é abater 36.00 perus/dia, 112 módulos de aviários.

 A JBS é detentora das marcas Friboi e Seara e pretende expandir a produção de perus no município. Durante reunião com o prefeito Wallas Milfont, a empresa informou que a média de abates diários será de 10 mil aves, chegando a 36 mil aves.

 Ao todo devem ser gerados de 600 a mil empregos diretos, sendo neste primeiro momento, aproximadamente 400 apenas com a construção das incubadoras, fábrica de ração e granjas, além do setor de transporte de produtos e animais. Segundo o prefeito, a JBS pretende investir R$ 700 milhões ao longo de quatro anos, sendo 620 milhões de reais em Itaporã e mais 80 milhões em Dourados para o abate de perus.

 A confirmação da instalação da empresa no município é resultado do trabalho do prefeito Wallas Milfont em busca de incentivos junto ao Governo do Estado. “Depois de várias viagens a Campo Grande para tratar com o Secretário de Estado de Desenvolvimento Sustentável- Jaime Verruck e com o Governador Azambuja sobre os incentivos para JBS se instalar em Itaporã, conseguimos a tão esperada confirmação”, afirmou Wallas. 

Outro fato que contribuiu para a instalação da empresa foi a iniciativa de construir mais duas creches no município. A creche inacabada no Jardim Santa Terra (que está sendo concluída) e a nova creche ao lado do Fórum. Essa foi uma das razões de a JBS investir em Itaporã, porque as mães poderão trabalhar com tranquilidade, tendo creches suficientes para seus filhos. Itaporã também se destacou entre os demais municípios na escolha da empresa pelos incentivos e logísticas de produção, abate e mão de obra, principalmente, feminina.

Segundo Rodrigo Garziera, coordenador responsável pela implantação do projeto, a capacidade do frigorífico será suficiente para abater 36 mil perus por dia, número aproximado de 450 toneladas diárias do produto. Os trabalhos iniciam no campo a partir de 2016, já que as aves levam cerca de um ano para completarem o ciclo do abate, com início previsto para as atividades da indústria em 2018. A produção será distribuída para o mundo todo.

 “A produção será 50% destinada para o mercado interno, com produtos in natura e industrializados, e os outros 50% serão para o mercado internacional, para países da América do Sul, América Central, África do Sul, Oriente Médio e Ásia. As atividades começam no campo, com a montagem das granjas e manejo dos animais. Nos primeiros anos de abate, a capacidade será de 10 mil aves por dia, com aumento gradativo”, pontuou.

Fonte: ASSECOM - Itaporã-MS