23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

FLEXIBILIZAÇÃO

Excepcional, Campo Grande terá 5 dias de toque de recolher a partir das 22h

Governo atendeu entidades que representam lojistas

A- A+

O Governo do Estado decidiu hoje (29. abril) que Campo Grande, visto que está na bandeira ‘laranja’ do “Prosseguir” poderá a partir de portaria excepcional migrar ao toque de das 22h até às 5h da manhã. A determinação deve ser publicada nesta sexta (30. abril).

Segundo o governo, atende a demanda da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul (Fecomercio), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (Faems).

Entidades que representam os lojistas solicitaram a flexibilização apostando que nesse período a população irá intensificar as compras devido o "Dia das Mães". 

Consultora legislativa, Ana Carolina Ali Garcia.Consultora legislativa, Ana Carolina Ali Garcia. Foto: Chico Ribeiro

A chefe da consultoria legislativa do Governo, Ana Carolina Ali Garcia, que é conselheira do programa ‘Prosseguir’, apontou que a Capital pontua bem para a medida.  "Foi feita uma análise técnica e decidido que haverá esta flexibilização durante estes cinco dias, relativizando a regra em função do Dia das Mães, para evitar a concentração de pessoas no mesmo horário no comércio. A partir do dia 10 (maio) a Capital volta para bandeira vermelha, até a próxima avaliação do programa", afirmou. 

Secretário estadual de Governo, Sérgio Murilo.(Foto: Edemir Rodrigues)Secretário estadual de Governo, Sérgio Murilo. Foto: Edemir Rodrigues

Segundo o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, o novo horário vai ser amplamente divulgado à população. "Foi uma decisão tomada pelo programa Prosseguir em reunião extraordinária. Um dos principais motivos para mudança foi que Campo Grande já está na bandeira laranja, mas regra do programa não permitia sair da cinza direto para ela, precisava passar pela vermelha, por isso vamos flexibilizar a mudança neste período", argumentou.