14 de junho de 2021
Campo Grande 27º 13º

Marketing pesado

Volta de Anderson Silva vira o Superbowl do Brasil

Há mais de um mês a cerveja Budweiser, patrocinadora de Andreson, mudou toda sua identidade em torno do Spider e criou uma campanha com cara de superprodução

A- A+

UFC terá um grande evento, este final de semana, no Brasil. E não é uma simples coincidência que Dana White faça todos os anos um belo evento do UFC no mesmo fim de semana do Superbowl. Ele nunca escondeu que tenta pegar carona na final do futebol americano, evento esportivo anual mais visto em todo o mundo. É um feriado informal nos Estados Unidos, o país para, mas em 2015, este fim de semana também será especial para o Brasil.

Este card específico do UFC não terá uma disputa de cinturão pela primeira vez desde 2010, quando os veteranos Randy Couture e Mark Coleman fizeram a luta principal, mas contará com o aguardado retorno de Anderson Silva, que enfrenta Nick Diaz nesta edição de número 183, 13 meses depois da grave lesão que sofreu contra Chris Weidman no final de 2013.

Apesar de o futebol americano não comover multidões, no Brasil, o interesse tem crescido nos últimos anos e a volta do Spider ganhou uma clima de Superbowl para os brasileiros.

O marketing esportivo das últimas duas semanas gira em torno da partida entre Seattle Seahawks e New England Patriots, neste domingo, no Arizona. Programas de TV, jornais, revistas, propagandas, cervejas, refrigerantes, comidas… Todos só querem saber da final da NFL.

Guardadas as devidas proporções, a luta de Anderson Silva neste sábado também tem uma pesada divulgação em cima. Começou com seu principal patrocinador. Há mais de um mês a cerveja Budweiser mudou toda sua identidade em torno do Spider e criou uma campanha com cara de superprodução, misturando superação, Bruce Lee, Batman e – é claro – Homem-Aranha.

Além disso, a cerveja ainda usou todas as suas redes sociais para divulgar o combate e, o mais surpreendente, trocou a imagem de suas latas por uma alusiva ao mais longevo campeão da história do UFC.

Os canais que transmitirão a luta do brasileiro com Nick Diaz também entraram no clima, alavancado pela própria importante que o Ultimate está dando para esse retorno. O tom é até um pouco soturno, como se ele voltasse das sombras, com direito a uma menina cantando “Dona Aranha” de maneira macabra.

A Globo, mesmo transmitindo o duelo na madrugada deste sábado para domingo com pelo menos 30min de atraso, passou a dar nas últimas semanas um tratamento de final da campeonato ao evento, com propagandas muito mais caprichadas do que qualquer outra feita pelo canal para o UFC desde o início da parceria no final de 2011.

O canal também fez uma extensa cobertura da recuperação e agora, mais próximo da luta, da preparação do ex-campeão dos médios. Autor da principal reportagem sobre os treinos, Regis Roesing já está em Las Vegas para mostrar no Esporte Especular, com acesso aos bastidores do brasileiro, como será a luta.

Já o Combate, único canal que transmite e vende os evento do UFC no Brasil em pay-per-view, terá uma equipe inédita em Las Vegas. A transmissão será feita direto do MGM Grand Garden Arena com narrador, três comentaristas (incluindo Minotauro) e repórter nos bastidores. Sensei, programa comandado pelo ex-judoca Flavio Canto, também será ao vivo dos Estados Unidos.