27 de janeiro de 2022
Campo Grande 30º 22º

FEMINICÍDIO | PONTA PORÃ (MS)

Áudio: Maurílio mata a esposa e o filho de 10 anos sobre a cama da família

Assassino avisou o amigo onde estariam os corpos. "Eu acabei de matar a Aline e matei o Davi, daí eu vou me matar"; ouça o áudio

A- A+

Maurílio Arcanjo, de 62 anos, matou com 5 tiros a esposa Aline Gomes, de 33 anos, e executou o filho, Davi Gomes, de 10 anos, com dois tiros. O crime aconteceu às 2h da madrugada do dia 5 de dezembro, na  Rua Homenelio Marques, no Bairro Kamel Saad, em Ponta Porã (MS). A reportagem não conseguiu localizar o registro de ocorrência para confirmar da idade da criança, que teria, entre 7 e 10 anos. 

Segundo apurado, tudo aconteceu logo após discussão entre o casal. Maurílio usou uma arma de fogo, calibre .38. Após o feminicídio e também após matar o próprio filho, o autor enviou um áudio para um amigo identificado na mensagem como "Tião". “O tião é o seguinte. Eu acabei de matar a Aline e matei o Davi, daí eu vou me matar”, explicou o assassino. Maurílio orientou o amigo sobre onde estariam os corpos: “Eu vou deixar o portão aberto e daí você vem aqui tomar as providências cabíveis e chama a polícia, tá bom? Só isso que eu tenho para te avisar, beleza?”, disse.  

O áudio foi compartilhado em grupos de conversa no WhatsApp e rapidamente viralizou. A Polícia foi até a casa ao ser acionada por "Tião". Quando a polícia entrou no imóvel, Maurílio de fato havia tentado suicídio, mas ele ainda estava vivo e agonizava em meio a uma poça de sangue. Ouça: 

MS Notícias · Maurílio mata a esposa e o filho de 10 anos sobre a cama da família

A polícia comentou que no quarto da casa, havia várias cápsulas de bala e uma caixa de munições, além de rastros de sangue que levavam até a varanda da casa, onde o homem foi encontrado.

No corpo de Aline haviam ao menos cinco tiros no tórax e dois tiros tiraram a vida de Davi. As vítimas morreram sobre a cama da família.  

Maurílio foi socorrido pela unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado até o hospital Regional de Ponta Porã, onde passou por cirurgia - ele tinha duas perfurações no peito e algumas queimaduras. Maurílio segue internado em estado grave naquela unidade hospitalar.