14 de junho de 2021
Campo Grande 27º 13º

Custos da produção leiteira aumentam no centro-oeste devido a seca

A- A+

Devido aos problemas climáticos que o Brasil enfrenta neste ano, produtores de leite do centro-oeste tiveram aumento nos custos da produção. De acordo com o site CNA, a região está no sétimo mês de estiagem, e mesmo chovendo nos próximos dias, são necessários mais 40 para que a pastagem se recomponha. Com isso o custo da produção aumenta e com um agravante da previsão de queda no preço do leite já no próximo pagamento aos produtores. De acordo com  o pecuarista Aguinaldo Lelis, de Planaltina (DF), não há como baixar o preço devido o aumento dos custos. Além disso, a mão de obra, energia e combustível também impactam na produção – diz. Outra coisa é a falta de energia elétrica, que atrapalha a ordenha e paralisa os tanques cheios de leite, que pode-se perder. O pecuarista relata que está pagando R$ 2 mil de luz, aumento de 15%. Além do custo da mão de obra que subiu 8%. Para a manutenção de 240 animais, sendo 137 vacas em lactação, o consumo de silagem chega a sete toneladas por dia, já que a pastagem continua seca. Ainda de acordo com levantamentos feitos pela CNA, há estabilidade dos preços durante todo ano, mesmo na entresafra, quando geralmente tem oscilações no valor do litro. “O ano começou com valores um pouco com alta de 2013, porém, depois deu uma queda e estabilizou passando este ano pela entresafra, com preço estabilizado do leite” disse o superintendente técnico adjunto CNA, Bruno Lucchi. A queda nos preços até o final do ano é inevitável porque os produtores estimularam a produtividade e está sobrando leite no mercado. Dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) mostram que a captação de agosto aumentou 13% em relação a gosto de 2013.  Isso mostra o estímulo da alimentação, sendo algo significativo. . Tayná Biazus