19 de maio de 2024
Campo Grande 20ºC

PETS

Cãozinho Stive é encontrado, mas Luna e Chanel seguem desaparecidas

Mobilização nas redes sociais tem auxiliado no reencontro entre tutores e animais desaparecidos

A- A+

O cachorrinho Stive, um Chiuahua de 1 ano e 5 meses, desapareceu na manhã desta 2º.feira (27.fev.23), próximo à Rua Raquel de Queiroz, no setor 4 do bairro Aero Rancho, em Campo Grande (MS). Ao longo do dia, a família impulsionou publicações sobre o sumiço nas redes sociais, chegando a oferecer R$500 de recompensa a quem encontrasse o animalzinho.

Ao MS Notícias, o tutor, Robson de Freitas, de 39 anos, explicou que Stive escapou no momento em que sua esposa saiu, por volta das 11h. "Eu tenho curso e minha esposa foi me buscar. Ela estava com o tempo muito escasso. Acredito que quando ela acionou o portão, ele saiu pelo lado contrário, porque a casa que nós moramos é de esquina", detalhou o tutor, que é Guarda Municipal.

De fato, as diversas publicações e compartilhamentos nas redes sociais, resultaram no rápido reencontro entre Stive e sua família. Para conseguir informar a todos que o cãozinho foi encontrado, Robson gravou um vídeo, ao lado da esposa, do filho e do jovem Alan, que encontrou Stive perambulando por um condomínio na região do Aero Rancho. “Quero agradecer o Alan, que graças a Deus pegou ele, capturou e nos trouxe de volta”, comemorou.

Casos de reencontro como o do cãozinho Stive não são incomuns, mas também não ocorrem com a frequência e rapidez esperadas. Até o momento, não há dados oficiais que apontem a quantidade de animais desaparecidos e que foram recuperados por seus tutores, mas basta observar as diversas publicações de desaparecimento de pets nas redes sociais para perceber que o número é, de fato, imenso e com histórias bem parecidas.

O cãozinho Stive foi encontrado em um condomínio no bairro Aero Rancho, em Campo Grande (MS)

CHANEL

Em três anos de vida, a gatinha Chanel não havia saído de casa até a última 3ª.feira (21.fev), quando aproveitou para escapar por uma brecha no portão. “Chanel foi retirada de um terreno baldio, quando era bebê, mas mesmo assim é arisca. Nunca saiu. Acredito que quando cheguei em casa, ao abrir o portão ela tenha visto um outro gato na rua e foi atrás. Eu não percebi ela saindo, mas vi ela na rua, pelo retrovisor do carro, assim que fechei o portão”, explicou a secretária Suzana Mrozinski, de 52 anos, tutora da gatinha.

Suzana contou que redobrou a atenção em relação ao acesso de seus animais a rua, após seu cãozinho, Tommy, ter desaparecido por 28 dias, sendo encontrado em um pet shop a quilômetros de distância de sua casa. Na ocasião, o portão ficou entreaberto por conta de uma queda de luz, o que possibilitou a fuga que só se resolveu por meio das constantes publicações de fotos de Tommy nas redes sociais. “Sempre fico atenta, só abro o portão se não estão na garagem, mas dessa vez, aconteceu o inesperado. Estou muito triste. Quero minha Chanel de volta”, lamentou Suzana, que descreveu Chanel como uma gata castrada, de pelagem cinza e olhos verdes, desaparecida entre as ruas Ibirapuera e Prof. Xandinho, no bairro São Lourenço, em Campo Grande. Caso alguém a encontre, o contato é (67) 9698-0773.

A gatinha Chanel ainda não foi encontrada

LUNA

Caso semelhante é o da cachorrinha Luna, que durante a forte chuva de uma 6ª.feira (10.fev), desapareceu por volta das 17h, deixando sua tutora, a autônoma Camila de Castro Gobbi, de 21 anos, desesperada. “Meu marido abriu o portão, para guardar umas coisas no carro e deixou o portão meio que encostado. A Luna e o outro cachorro que temos aqui, correram para a rua, aí ele (marido), foi atrás e só conseguiu achar nosso outro cachorro, e a pequenininha não conseguiu encontrar mais”, explicou.

Luna desapareceu no bairro Ana Maria do Couto, na região da Avenida Júlio de Castilho. Ela possui pelagem preta, com as patas brancas, rabo pela metade e com uma das orelhas encolhida, quem a encontrar pode falar com a Camila pelo (67) 8177-1434. “Ela ainda não é castrada, tem 9 meses, vamos ver quanto podemos dar de recompensa para quem a encontrar. A divulgação está com uma repercussão boa, mandaram alguns parecidos já, mas não eram ela, infelizmente não temos nenhuma notícia”, queixou a tutora, que mantém a esperança no reencontro.

A cachorrinha luna ainda não foi encontrada