19 de maio de 2024
Campo Grande 19ºC

TECNOLOGIA

Cinco sinais de que seu computador pode estar contaminado

A- A+

O Brasil foi o 5º país que mais sofreu crimes cibernéticos em 2021, com 9,1 milhões de ocorrências, somente no primeiro trimestre — mais que o ano inteiro de 2020, de acordo com a consultoria alemã Roland Berger. Atualmente, existem diversas ferramentas à disposição de criminosos que facilitam o roubo de dados pessoais. A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, garante que grande parte dessa facilidade está relacionada a pequenos erros que os usuários cometem, como: clicar em links de phishing, esquecer de atualizar softwares e não usar a autenticação de dois fatores. A empresa de segurança da informação explica que, quanto mais cedo um usuário descobrir que foi infectado por um vírus ou algum outro tipo de malware, melhor.

“Quando um computador é infectado, quanto mais o tempo passa, mais danos os criminosos podem causar e mais caras podem ser as consequências. Ou seja, se a vítima demora para saber que seu dispositivo foi comprometido, mais facilidades os invasores têm para monetizar o acesso à rede e as contas online. Na América Latina, 24% das organizações que sofreram um incidente de segurança no ano passado foram vítimas de uma infecção por malware. É importante não esperar até que seja tarde demais para agir”, menciona Camilo Gutiérrez Amaya, chefe do Laboratório de Investigação da ESET América Latina.

Abaixo, a ESET compartilha uma lista de 5 sinais que podem indicar que um computador foi infectado por vírus:

Se ao ligar seu computador, surgir uma notificação de texto indicando que um valor deve ser pago para recuperar seus arquivos, há grandes chances de seu computador ter sido hackeado. Normalmente, os grupos de ransomware (malware de sequestro de dados, feito por meio de criptografia) dão às vítimas um aviso rápido para pagar, juntamente com instruções sobre como realizar a transação em criptomoeda. A má notícia é que, mesmo que você siga as instruções ao pé da letra e pague, há uma boa chance de você não recuperar o acesso a esses arquivos criptografados.

Em alguns casos, spywares são acionados por cibercriminosos e projetados não apenas para coletar dados de um PC, mas também para ativar secretamente a webcam e o microfone. Isso pode permitir que os cibercriminosos gravem e roubem vídeos de usuários e suas famílias, com o risco de serem usados em tentativas de extorsão. Preste atenção na luz da webcam para ver se ela se ativa. Ou, desative-a completamente com uma tampa ou fita na câmera.

Outro sinal claro de que um computador foi comprometido, é se amigos e contatos começarem a reclamar de spam vindo de contas de e-mail ou de mídia social. Uma tática clássica de phishing é sequestrar as contas de vítimas e usá-las para enviar spam ou e-mails para todos os seus contatos. Você pode se proteger facilmente contra roubo de contas garantindo que elas estejam protegidas com autenticação de dois fatores.

O malware também pode instalar plugins ou extensões na barra de ferramentas do seu navegador. Se for detectado algum que não seja reconhecido ou que você não se lembre de instalar, isso pode significar que o computador está comprometido.

Se os invasores conseguirem invadir seu computador, eles poderão roubar as credenciais de login e senha de várias de suas contas online, como e-mail, banco, etc. Ter que lidar com esse cenário pode ser uma das partes mais estressantes de qualquer ataque cibernético, pois cada conta deve ser relatada como roubada. Além disso, se o ataque puder colocar dados de terceiros em risco, como contas de clientes, parceiros ou funcionários, os potencialmente afetados devem ser notificados.

Segundo ESET, se um computador for comprometido, será necessário executar uma ferramenta anti-antivírus de um fornecedor confiável para tentar encontrar e remover qualquer código tendencioso que tenha sido instalado e, em seguida, o usuário deve considerar fazer o seguinte:

  1. Modificar todas as senhas das contas que foram acessadas no computador;
  2. Baixar um aplicativo MFA para autenticação multifator e reduzir o risco do vírus comprometer qualquer uma das contas;
  3. Investir em uma ferramenta de monitoramento da dark web para verificar quais dados foram roubados e/ou expostos;
  4. Congelar a possibilidade de solicitar empréstimo para que os cibercriminosos não consigam obter novas linhas de crédito;
  5. Monitorar todas as contas em busca de atividades suspeitas, especialmente contas bancárias.

“Se você não tiver certeza se removeu completamente um código malicioso do seu computador, recomendamos que considere alterar suas senhas por meio de um dispositivo alternativo. Entre em contato com seu banco ou fornecedor de software de segurança e obtenha mais informações”, recomenda Camilo Gutiérrez Amaya, da ESET LATAM.

Para saber mais sobre segurança da informação, visite o portal de notícias ESET: Link

Por outro lado, a ESET convida você a conhecer Conexão Segura, seu podcast para descobrir o que está acontecendo no mundo da segurança da informação. Para ouvir acesse: Link