22 de maio de 2024
Campo Grande 24ºC

MEIO AMBIENTE

Em Campo Grande, árvores "doentes são tratadas com soro"

"É preciso plantar, cuidar, arborizar novos bairros além de manter o que já temos", disse especialista

A- A+

A administração de Adriane Lopes (Patriota), realizou de 9 e 12 de agosto o treinamento de técnicos para tratar árvores centenárias com por meio de uma espécie de punção venosa no tronco das árvores.  

Os técnicos treinados para a "prática de soroterapia de árvores", são da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur) e atuam diretamente com a Arborização Urbana.

De acordo com a administração, as centenárias árvores da Avenida Mato Grosso, no Centro da Capítal, foram as escolhidas para receberem o tratamento em meio ao treinamento. 

O tratamento promove a nutrição de árvores notáveis, ou seja, árvores imunes ao corte, raras ou de alto valor ecológico e paisagístico catalogadas no município. "Esse é um trabalho importante pois Campo Grande tem um patrimônio arbóreo histórico de extrema relevância, além de ser uma Tree City of the World – Cidade Árvore do Mundo", destacou a administração.  

Durante a capacitação foram apresentadas técnicas para o tratamento de árvores jovens e adultas por meio do protocolo de boas práticas adotado pela Sociedade Internacional de Arboricultura dentro das normas internacionais, sendo demonstradas as melhores técnicas para trabalho de solo, para combate de pragas, para a descompactação do solo e aeração, para o tratamento da árvore, bem como, técnicas para mitigação de risco e tratamento estrutural, correção dos defeitos estruturais da árvore, assim, mantendo a vitalidade e tornando a árvore mais segura para a população.

A capacitação teórica e prática foi ministrada pelo biólogo e arborista certificado pela International Society of Arboriculture (ISA), Gustavo Henrique Garcia que explicou como foi feita a abordagem apresentada aos técnicos.

“Fui procurado pelo pessoal aqui da Prefeitura, para apresentar as melhores técnicas hoje utilizadas. Serão quatro dias de capacitação. Iniciamos pela parte teórica de avaliação e diagnóstico da árvore, de como identificar um problema e qual a melhor forma de intervir, ou seja, a partir do diagnóstico podemos corrigir todos os problemas nos fatores de estresse que estão levando a árvore a um sofrimento para deixar ela da melhor forma e estamos trabalhando isso na prática, com árvores reais, com situações reais. Estaremos fazendo o diagnóstico das árvores e já aplicando as técnicas, os produtos e as melhores práticas de tratamento, portanto, a ideia é capacitar os técnicos para estarem multiplicando os conhecimentos com as equipes operacionais”.

Tendo como exemplo e referência, durante a capacitação, as Figueiras centenárias localizadas no canteiro central da Avenida Afonso Pena, um dos locais escolhidos para a realização da parte prática do curso, sendo uma área de grande movimentação, de alta ocupação, portanto, essas árvores devem permanecer sadias e seguras para que a população possa usufruir de todos os benefícios que esses indivíduos oferecem.

Gustavo também destacou a capital como uma referência mundial no manejo da arborização urbana.

“Campo Grande é uma Tree City of the World, é uma das referências no Brasil e no mundo nessa parte de arborização urbana e agora está dando mais um passo, investido não só no planejamento, mas também na manutenção desse patrimônio de árvores históricas. É preciso plantar, cuidar, arborizar novos bairros além de manter o que já temos”, complementou

O secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa pontuou a relevância da capacitação ofertada pela administração municipal. “A atual gestão sabe da importância em capacitar seus servidores e cursos como esse enriquecem os conhecimentos técnicos que serão colocados em prática. O ministrante é um dos pouquíssimos profissionais do Brasil que detém o conhecimento e ensina tais técnicas. Uma grande oportunidade de aprendizado e troca de experiências”, concluiu.