19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

CULTURA

Em lives, Cia Teatro do Mundo conversa com artistas sobre o teatro da Capital

Espedito Montebranco e Fernanda Kunzler são os artistas convidados da semana para participarem do bate papo promovido dentro do projeto Teatro Brasileiro Fora do Eixo, no Instagram da Cia

"O termômetro do teatro é o público", afirma o ator e diretor de teatro Espedito Montebranco, quanto a importância da conexão entre plateia e artistas mantida durante um espetáculo e, que neste período de pandemia, teve de ser interrompida ou redesenhada. Diante desse contexto que na próxima terça-feira (12), às 19h, o artista estará em uma live com o diretor Cia Teatro do Mundo, Fernando Lopes, no projeto Teatro Brasileiro - Fora do Eixo, para falar um pouco dessa nova realidade e de outros assuntos ligados ao fazer teatral de Campo Grande. A transmissão da entrevista será no Instagram da própria Cia Teatro do Mundo: @teatrodomundo. 

Essa é a segunda temporada do projeto que, agora, foi contemplado com recursos da Lei Aldir Blanc, através de edital do FMIC (Fundo Municipal de Incentivo Cultural) promovido pela Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo). Na primeira edição, realizada em 2020, o projeto conseguiu promover um total de 20 entrevistas, lives, com artistas das regiões periféricas do Brasil.  

Sem perder o foco principal que é o teatro, a segunda temporada pretende dar ênfase ao fazer artístico regional como explica o diretor da Cia, Fernando Lopes. "Um objetivo diferente que temos, no momento, é o de perscrutar, escutar, estudar pesquisar o teatro sul-mato-grossense a partir da Capital. Além, é claro, de continuar a tratar sobre a realidade dos artistas neste momento tão complicado que nos encontramos". 

Para quem pensa, vive e porque não dizer, respira teatro há 25 anos, no Estado, como Espedito Montebranco, o projeto "Teatro Fora do Eixo" vem preencher uma lacuna antiga. "Aqui, a gente tem essa dificuldade de escrita e registro em geral sobre a história do nosso teatro. Tem essa falta de informação neste sentido. E esse espaço, com certeza, vai permitir se pensar no teatro no antes e depois da pandemia. Material que pode a vir a ser utilizado tanto pelos artistas iniciantes como os com mais anos de estrada". 

O último trabalho do artista foi com o espetáculo "Esparrela", que estreou meses antes da Covid-19, mas, que devido ao caos da doença se viu obrigado a suspender os ensaios e novas temporadas. A alternativa do artista foi seguir linha semelhante à usada pelo próprio "Teatro Fora do Eixo", que faz uso das redes sociais e de ferramentas da linguagem do audiovisual. 

Espedito tem se dedicado aos vídeos com sua personagem Jack Pantaneiro, uma mistura do arquétipo do homem campesino com os xerifes dos antigos filmes de faroeste. "Tenho assistido filmes, lido e trabalhado. Criei o Jack e comecei a filmar para falar de inúmeros assuntos que estão aí na nossa sociedade, nos jornais, e que pedem sérias reflexões", enfatiza. 

Já na quinta-feira (14) é a vez do quarto bate papo dessa temporada do “Teatro Brasileiro Fora do Eixo”, com Fernanda Kunzler, atriz que integra o Teatral Grupo de Risco. "Desde que iniciou, sempre considerei o projeto do Fernando algo importante e necessário. A escuta é necessária. A troca de experiência para nós da área em especial, é fundamental". 

Os bate papos continuam durante o mês de janeiro e fevereiro, sempre às terças e quintas-feiras às 19 horas.