19 de junho de 2024
Campo Grande 22ºC

SERVIDORES PÚBLICOS

FETEMS aponta que bolsonaristas miram 'desmantelar' a CASSEMS

Sindicado acredita que plano da extrema direita está em curso

A- A+

A direção da Federação dos Trabalhadores em. Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS), repudiou o ataque do deputado estadual de extrema direita bolsonarista João Henrique Catan, a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (CASSEMS). 

Por meio de nota assinada pelo presidente Jaime Teixeira (leia abaixo), a FETEMS afirmou que o extremista de direita é "um ilustre desconhecido" dos servidores, lembrado apenas por 'polêmicas' na seu mandato e que a família do parlamentar, em especial seu avô, o ex-governador Marcelo Miranda Soares, tem histórico de desrespeito aos servidores públicos.  

Ainda segundo a FETEMS, Catan repete o movimento do também extremista de direita, o ex-deputado estadual Rafael Tavares, que teve o mandado cassado devido a condenação por um esquema nas cotas femininas em 2022, crime praticado pelo partido do bolsonarista, o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB).  

Para o sindicato, Catan sofre de "limitação intelectual". A FETEMS também lembrou da importância da CASSEMS na luta contra Covid-19 e pontuou que o grupo político de Catan, a extrema direita, deveria ser responsábilizada pelas centenas de milhares de mortes provocadas pelo negacionismo de políticos que chamavam a pandemia de 'gripezinha', termo utilizado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para se referir aos sintomas da Covid-19 que matou mais de 700 mil brasileiros durante o governo de extrema direita.

Leia a nota de repúdio na íntegra:    

A FETEMS (e seus 74 sindicatos filiados) repudiam profundamente a investida contra a CASSEMS feita pelo Deputado Estadual JOÃO HENRIQUE CATAN. Esse Deputado, para nós servidores estaduais, seria mais um daqueles ilustres desconhecidos, salvo se não fossem dois fatos:

  • a) Ele é aquele deputado que teve a ‘brilhante ideia’ de aparecer numa sessão telepresencial da ALMS disparando tiros com uma pistola em um stand de tiro.
  • b) Ele é neto do ex-governador Marcelo Miranda Soares. Isso mesmo, aquele governador que nós servidores expulsamos da governadoria ao final do ano de 1990, por atraso de pagamento de mais de 04 folhas salariais.

A investida do ilustre deputado contra a CASSEMS é uma mera repetição do que já havia tentado fazer o ex-Deputado Estadual Rafael Tavares (Aquele que foi cassado pelo TRE/MS e TSE).

A limitação intelectual e cegueira deliberada de João Henrique Catan não lhe permite reconhecer que a CASSEMS é um PLANO DE SAÚDE no modelo de AUTOGESTÃO, ou seja: Nós os servidores públicos (por sua representação sindical) dirigimos, administramos e fiscalizamos a execução do NOSSO plano de saúde, também sob a fiscalização da ANS- AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR.

A mesma cegueira deliberada o impede de reconhecer que a CASSEMS é o MAIOR, MAIS AMPLO e MELHOR plano de saúde no Estado de Mato Grosso do Sul.

Essa mesma CASSEMS foi fundamental para o enfrentamento da PANDEMIA da COVID entre nós servidores e milhares de dependentes (desafogando a rede pública de saúde para o atendimento da população desassistida de plano privado), que os negacionistas (grupo político que se alinha a João Henrique Catan) insistiam em chamar de ‘gripezinha’. Se há alguém a ser responsabilizado pelo estratosférico e obsceno número de mortes pela COVID (No Brasil e no MS) é esse grupo político, já que a CASSEMS (Por sua direção e colaboradores) faz parte daquele grupo que ajudou a salvar milhares de vidas em MATO GROSSO DO SUL e no BRASIL.

Acreditamos que as reiteradas investidas contra a CASSEMS (vinda do mesmo grupo político) possuem um único propósito: DESACREDITAR para DESMANTELAR a CASSEMS como CAIXA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DO SERVIDOR PÚBLICO.

Se querem destruir a CASSEMS que assim se expressem de forma transparente (deixando de usar subterfúgios falsos e falaciosos), pois estamos preparados para fazer esse debate, no lugar que escolherem. Por fim, reafirmamos o total apoio aos rumos da administração da CASSEMS, já que realizada em perfeita sintonia com a representação dos servidores públicos estaduais, bem como conclamamos a cada ASSOCIADO/BENEFICIÁRIO CASSEMS que repudie de forma veemente a mais essa agressão gratuita contra nosso plano de saúde.

A CASSEMS É NOSSA e ASSIM CONTINUARÁ SENDO.

JAIME TEIXEIRA, PRESIDENTE DA FETEMS.

DESDOBRAMENTO

Depois de uma campanha de Henrique Catan contra o presidente da Cassems, o médico Ricardo Ayache resolveu revidar. Em vídeo postado nas redes sociais, anunciou que vai tomar medidas cabíveis contra o parlamentar, que tem usado a tribuna da Assembleia para levantar acusações, mesmo sem provas, indicando a lisura nas contas prestadas por Ayache. “Há quase um ano tenho sido vítima de ataques pessoais, ofensas absurdas com base em mentiras. Uma verdadeira fábrica de mentiras, de manipulação de dados”, justificou o presidente. 

Na mensagem partilhada em seu Instagram, Ayache lembra que seu patrimônio corresponde há mais de 30 anos exercendo a Medicina em seu consultório regularmente, além de ser empresário e gestor de saúde há quase 25 anos. O presidente disse que transformou o “falido" Previsul no que é hoje a Cassems, “o maior plano de saúde do nosso Estado... com a maior rede hospitalar do Mato Grosso do Sul, o primeiro centro de transplante de medula óssea do nosso Estado e um centro multiprofissional para atendimento das crianças autistas”. Assista: