20 de setembro de 2021
Campo Grande 38º 26º

RONDAI SEGURANÇA

"Peguei mais um contratinho do governo", diz dono da Rondai em MS

Empresário negou estar impedido de licitar, mas confirmou estar em atraso com salários seus funcionários vigilantes da Caixa Econômica Federal

A- A+

O empresário Juliano Zambiasi, Presidente do Grupo Rondai em Sonora, local da matriz da empresa, respondeu as mensagens feitas pela reportagem do MS Notícias de o porque a empresa estaria atrasando os pagamentos de seus funcionários que trabalhando como vigilantes na Caixa Econômica Federal. Para o empresário ele é vítima perseguição e não procede a informação de que a empresa dele estaria impedida de fechar contratos ou licitações com estatais. “(sic) É uma mentira que estamos impedidos de licitar por dois anos e só para dar um gostinho para quem querem me derrubar só peguei mais um contratinho do governo”, disse o empresário.

Zambiasi justificou o atraso com os funcionários, dizendo que a empresa vive situação em acordo com a realidade do país. “A situação da minha empresa hoje corresponde com a realidade que estamos vivendo no país. Gostaria de ressaltar que jamais deixar de honrar meus compromissos. Hoje a questão que vivemos para com a Rondai é uma perseguição imensa e querem nos destruir de qualquer forma”, disse o empresário.

Ainda segundo o empresário, a reportagem publicada no MS Notícias, em que traz a afirmação do presidente do Sindicato dos Empregados das Empresas de Segurança e Vigilância (Seesvig/MS), Celso Adriano da Rocha, que em entrevista disse: "A empresa alega não ter recursos financeiros. Porque a Rondai está em processo de fechamento, porque eles não podem participar de processo licitatório durante 2 anos, e com isso eles estão perdendo todos os contratos", não possui veracidade. “Minhas empresas não estão falindo”, rebateu Zambiasi.

Conforme o empresário o repórter do MS Notícias teria sido induzido por alguém a produzir o conteúdo denunciando a situação dos vigilantes da Caixa. “Jamais fecharei a minha empresa e ainda mais (não) darei o calote em alguém, pois isso foge do meu caráter, mas quem o induziu a essa matéria provavelmente vive atrás de migalhas, pois não tem competência suficiente para abrir uma empresa”, opinou Zambiasi.

Por outro lado, o empresário confirmou estar em atraso com salários dos seus funcionários.  “Como disse anteriormente, a situação hoje está difícil no país, mas sairemos vitoriosos. Fora o pagamento que realmente está em atraso de alguns clientes, mas ressaltando que existe alguns que não me pagaram também e por isso não venho cumprindo o pagamento de alguns trabalhadores no 5 dia útil o restante que te dizem em relação a outras situações somos amparados por LEI”, afirmou o empresário. 

Apesar de o empresário alegar que não está falindo e ainda ostentar novo contrato com o governo de MS. Trabalhadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, explicam que lá a situação é a mesma. “Na UFMS também é Rondai que faz a segurança e também está na mesma situação; ninguém recebeu salário, ticket, férias, está tudo atrasado e dizem que não tem nem previsão. Já tem vigilantes desesperados pois não tem de onde tirar o sustento”, explicou um dos trabalhadores.

Os trabalhadores da UFMS corroboram com a denúncia dos vigilantes da Caixa e dizem que caso descubram que estão levando a situação à imprensa, são perseguidos pela Rondai.