19 de maio de 2024
Campo Grande 20ºC

TRAGÉDIA

São Paulo: Décadas de descaso, 50 mortos e 4 mil pessoas sem lar

Máquinas escavadeiras retiram os corpos dos escombros e limpam as ruas

A- A+

As chuvas que atingiram o litoral paulista já deixaram 50 mortes confirmadas (49 em São Sebastião e uma em Ubatuba), 2.251 pessoas desabrigadas e outras 1.815 desalojadas. Entre as vítimas, há famílias, turistas, e uma criança que foi ver o mar pela 1ª vez. Um levantamento realizado pela GloboNews aponta que 38% do orçamento aprovado para prevenção de desastres naturais no estado de São Paulo deixou de ser executado pelos governadores entre 2011 e 2022. Dos R$ 10,4 bilhões disponíveis, somente R$ 6,4 bilhões foram investidos em obras e outras medidas para impedir que tragédias como a do Litoral Norte acontecessem. Nos últimos 13 anos, apenas em 2010 o valor utilizado foi maior que o aprovado pela Assembleia Legislativa do estado, quando ocorreram eleições para governador e deputados. Também a prefeitura de São Sebastião admite que problema de ocupação irregular existe há pelo menos 15 anos. 

Esse histórico pode ser uma das razões da demora de Geraldo Alckmin, vice-presidente da República e ex-governador de São Paulo, em visitar a região, informa Malu Gaspar.

Os ministros da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e dos Portos e Aeroportos, Márcio França, anunciaram mais de R$ 120 milhões em recursos para os municípios do Litoral Norte. São R$ 60 milhões para a Defesa Civil utilizar em planos de ajuda humanitária e reconstrução, e outros R$ 60 milhões destinados aos municípios.

Com poucas chances de encontrar sobreviventes, o Exército e os bombeiros começaram a isolar as áreas na Vila Sahy, em São Sebastião, e permitir a entrada de máquinas e escavadeiras para retirar os corpos e limpar as ruas que dão acesso ao local da encosta. Diferentemente do que aconteceu no terremoto que atingiu a Turquia e a Síria, os deslizamentos de terra não permitem a formação de bolsões de ar. A estimativa é de que haja 16 vítimas soterradas. 

Enquanto isso… a Polícia Militar e o ministro Márcio França pediram que os turistas não vão para o litoral paulista neste final de semana, depois de a Polícia Rodoviária Federal identificar um forte aumento de carros seguindo para a região. A prefeitura de São Sebastião pediu, em vídeo, mais empatia dos visitantes.

O maior navio da Marinha chegou a São Sebastião para auxiliar no atendimento dos sobreviventes da tragédia. Conheça a embarcação.

Saiba como ajudar as vítimas das chuvas no litoral paulista. 

Em 35 anos, deslizamentos de terra mataram mais de 4 mil pessoas em todo o Brasil, segundo o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

FONTE: MEIO