22 de junho de 2021
Campo Grande 29º 16º

Vereador revela que Cicinho comprou votos para se eleger presidente da Câmara de Naviraí

A- A+

O vereador Adriano José Silvério (PMDB), um dos dez presos na Operação Atenas acusados de fazer parte de um esquema de corrupção em Naviraí, afirmou em depoimento que o presidente da Câmara do município, Cícero dos Santos, o Cicinho do PT, recebia retornos financeiros das empresas que prestam serviço para o legislativo.

Segundo ele, Cicinho fazia questão de falar “em voz alta” para todos na Câmara que ficava com parte do dinheiro pago a três empresas, contratadas pela Câmara depois que ele assumiu a presidência.

Ontem, o ex-assessor da Câmara, Rogério dos Santos Silva, revelou em depoimento à Polícia Federal que Cicinho desviou dinheiro público para custear as próteses de silicone de sua esposa, Mainara Malinski.

Adriano José Silvério, que está recolhido no presídio estadual de Naviraí desde o dia 8 de outubro deste ano, contou em depoimento que Cicinho conseguiu se eleger para presidente da Câmara em troca de dinheiro, favores e da distribuição de cargos no Legislativo. Segundo Adriano, até o prefeito de Naviraí, Léo Matos (PV) participou do esquema.

Segundo Adriano, o prefeito apoiou a eleição de Cícero dos Santos e chegou a lhe prometer um emprego para seu irmão para Adriano votar em Cicinho do PT. Segundo ele, após a eleição o acordo não teria sido cumprido. Adolfo José Silvério, irmão de Adriano, chegou a ocupar o cargo de gerente de Meio Ambiente, mas foi exonerado e teve de voltar à função de origem – operador de serviços públicos.

Heloísa Lazarini