12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Após não ir à marcha contra o extremismo, Obama é alvo de críticas

A- A+

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama recebeu diversas críticas hoje, por não ter comparecido ou enviado funcionários à manifestação de domingo em Paris, em resposta aos atentados contra a revista satírica "Charlie Hebdo".

De acordo com o site Terra, François Hollande, presidente da França, compareceu ao evento acompanhado por líderes de todo o mundo na grande marcha em repúdio ao terrorismo e em defesa da liberdade de expressão. A Casa Branca se esquiva das críticas porque nem Obama nem o vice-presidente, Joe Biden, que não tinham nada programado em sua agenda no domingo, foram à histórica demonstração de solidariedade em Paris.

O procurador-geral dos EUA, Eric Holder, viajou à capital francesa para um encontro ministerial sobre jihadismo e antiterrorismo, e embora fosse esperado que comparecesse à manifestação, não esteve presente. Os Estados Unidos foram representados no protesto pela embaixadora americana na França, Jane Hartley, enquanto líderes e vices de 40 países, incluindo Alemanha, Reino Unido, Jordânia, Israel e Palestina, estiveram presentes na marcha que uniu mais de um milhão de pessoas.

Dany Nascimento