23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

Evento reúne hackers para combater violência contra a mulher

A- A+

Cerca de 47 hackers, programadores e especialistas em assuntos relacionados ao gênero,  iniciaram na última terça-feira, a trabalhar nos projetos de 22 aplicativos que serão utilizados para  ampliar a transparência de dados públicos sobre "violência contra a mulher" e sobre "políticas públicas de gênero e cidadania".

Reunidos no Salão Branco da Câmara dos Deputados, eles participam da 2ª edição do Hackathon, espécie de maratona colaborativa que desafia desenvolvedores de soluções digitais. Neste ano eles vão utilizar tecnologias digitais para traduzir dados públicos de maneira útil e acessível a qualquer pessoa.

De acordo com o site da Câmara de Deputados, um dos projetos de aplicativo, por exemplo, pretende fornecer informações úteis sobre a violência obstétrica, que envolve agressões físicas ou emocionais de gestantes por parte dos profissionais da área da saúde. De acordo com  Marcela Oliveira, que veio de Maceió para participar do Hackthon, a ferramenta vai funcionar como uma espécie de rede social, permitindo que as próprias mulheres possam compartilhar informações e experiências com outras gestantes.

O diferencial neste ano é a participação de especialistas de outras áreas, como sociólogos e antropólogos, que já pensam e discutem a questão de gênero.

Para a coordenadora de Acesso à Justiça e Combate à Violência da Secretaria de Diretos da Mulher da Presidência da República, Aline Yamamoto, eventos como o Hackathon podem resultar em ferramentas importantes no combate a problemas sérios, como a violência contra a mulher.

A deputada Rosane Ferreira (PV-PR) defendeu o potencial das tecnologias digitais como meios de acesso à informação. “Hoje não dá para dispensar a linguagem da internet. É uma linguagem universal, que permeia todas as classes sociais. É mais um instrumento de enfrentamento contra a violência de gênero e contra a violência doméstica que assolam o nosso País”, afirmou.

O evento se encerra amanhã  e vai premiar os autores dos dois projetos vencedores com passagem e hospedagem para participar de um encontro sobre projetos de Democracia Digital na sede do Banco Mundial, em Washington, nos Estados Unidos.

Tayná Biazus