22 de junho de 2021
Campo Grande 28º 16º

Ministro da Fazenda nomeado por Dilma defende equilíbrio e avanço social

A- A+

O ministro anunciado da Fazenda, Joaquim Levy, defendeu hoje, que existe um "equilíbrio" casado com "avanço social", sem necessidade de recuar conquistas contabilizadas até aqui.

"O equilíbrio da economia é feito para que a gente possa continuar o avanço social que a gente alcançou. O equilíbrio existe para que a gente possa ter as políticas de maneira sólida. O exercício fiscal é um exercício de escolha de prioridades. Se não tiver crescimento, é sempre mais difícil pra fazer qualquer investimento de política pública. As escolhas serão feitas de tal maneira que os agentes econômicos possam decidir com confiança e tranquilidade de que o governo opera dentro dos recursos que lhe são confiados", afirma Levy.

O novo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, deu uma declaração na mesma linha, assegurando de acordo com o Brasil 247, que a preparação de medidas para o crescimento e os avanços sociais "não são coisas contraditórias".

Segundo ele, o cumprimento das metas "não implica em renunciar as conquistas recentes". Levy afirmou que não haverá pressa para que sejam apresentadas medidas econômicas. "Sem pacotes, sem surpresas. Eu seria precipitado se desse o receituário agora", declarou. Segundo ele, a presidente Dilma Rousseff tem um "compromisso absoluto" para que as metas a serem estabelecidas sejam alcançadas.

O novo ministro também disse que a pasta "reafirma o compromisso com a transparência" e já apresentou a meta do superávit de 2015 (1,2% do PIB). De acordo com sua previsão, em 2016 e 2017 ela não será menor do que 2% do PIB.

Dany Nascimento