22 de maio de 2024
Campo Grande 28ºC

GUERRA | INTERNACIONAL

OTAN avisa: em caso de ataque nuclear, exército russo será aniquilado

Diplomata disse que os países ocidentais "também não estão blefando"

A- A+

O chefe da diplomacia da União Europeia, Josep Borrell, disse nesta 5ª-feira (13.out.2022) que as tropas russas serão “aniquiladas” pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e pelos Estados Unidos, caso a Rússia realize qualquer ataque nuclear à Ucrânia.

Falando na abertura da Academia Diplomática Europeia em Bruges nesta quinta, Borrell disse: "Qualquer ataque nuclear à Ucrânia criará uma resposta - não uma resposta nuclear, mas uma resposta tão poderosa que o exército russo será aniquilado".

"Um ataque nuclear à Ucrânia provocará uma resposta da UE, dos EUA e da OTAN. Não será nuclear, mas seu poder do ponto de vista militar será grande", enfatizou Borrel.  

Ele lembrou as palavras de Putin de que "não estava blefando", falando da proteção do território da Federação Russa "por todos os meios disponíveis". Segundo o chefe da diplomacia europeia, os países ocidentais "também não estão blefando" quando alertam sobre as consequências do uso de armas nucleares na Ucrânia.

Em pronunciamento realizado em setembro de 2022, Vladimir Putin disse que a Rússia possui uma variedade de armas de destruição, algumas delas mais “modernas” do que as dos países da Otan. O presidente russo afirmou que iria usá-las caso a integridade territorial de seu país fosse ameaçada. “Sem dúvidas usaremos todos os meios à nossa disposição para proteger a Rússia e o nosso povo. Isso não é um blefe” , disse Putin.

"Este é um momento sério na história e devemos mostrar nossa unidade, nossa força e nossa determinação", disse Borrell.

Hoje cedo, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg , disse que o uso de armas nucleares contra a Ucrânia levaria a "graves consequências".

"A retórica nuclear da Rússia é perigosa, imprudente, e eles sabem que, se usarem armas nucleares contra a Ucrânia, terão consequências terríveis. E eles também sabem que uma guerra nuclear não pode ser vencida e nunca deve ser travada", considerou. 

Ele disse que a possibilidade da organização usar armas nucleares contra a Rússia são “remotas”. Sem dar detalhes sobre qual seria a resposta da aliança militar a um eventual ataque nuclear, ele afirmou que a Otan vigia as instalações nucleares russas há décadas. A Ucrânia não faz parte da Otan. Em razão disso, não tem direito à cobertura da cláusula de autodefesa, adotada pelos países integrantes.

O vice-secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Alexander Venediktov, disse que a eventual entrada da Ucrânia na Otan poderia levar à 3ª Guerra Mundial. No fim de setembro, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, solicitou a “entrada acelerada” do país na aliança militar.