17 de junho de 2024
Campo Grande 26ºC

Chiquinho Telles aprova que MPE investigue Fundac e Prefeitura por irregularidades na Vila Brasil

A- A+

O presidente da comissão de cultura da Câmara Municipal de Campo Grande, o vereador Chiquinho Telles (PSD) afirmou para a reportagem do MS Notícias na noite de hoje que aprova a investigação do MPE (Ministério Público Estadual) para apurar possíveis irregularidades praticadas pela prefeitura e pela Fundac (Fundação Municipal de Cultura) na realização do evento Vila Brasil, promovido durante Copa do Mundo na Cidade do Natal, nos altos da Avenida Afonso Pena.

Para o vereador, como a Câmara na gestão do prefeito cassado Alcides Bernal (PP) fiscalizou de perto todas as irregularidades agora, na gestão do atual prefeito Gilmar Olarte (PP) não pode ser diferente.

“Se tem alguma denúncia tem que ser apuradas. Tem muitas coisas acontecendo em que a Juliana Zorzo tem que se preocupar em explicar e dar satisfação e não se esconder, pois esse não é o papel de um presidente de fundação”, desabafa Chiquinho Telles.

Antes de finalizar a conversa com a reportagem do MS Notícias o vereador afirmou que é a favor de qualquer denúncia que chegue tem que se investigar, pois segundo ele “o culpado tem que ser punido independente de quem seja”.

Caso

O MPE (Ministério Público Estadual) por meio da 30ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público instaurou inquérito civil nº 058/2014 para apurar possíveis irregularidades praticadas pela prefeitura e pela Fundac (Fundação Municipal de Cultura) na realização do evento Vila Brasil, promovido pela prefeitura durante Copa do Mundo na Cidade do Natal, nos altos da avenida Afonso Pena.

Conforme publicação do diário oficial do MPE, há suspeitas de irregularidades referentes à divulgação do evento com cartazes e displays assinados pela prefeitura, por meio da Fundac.

Desde o anúncio da construção da Vila Brasil, em junho deste ano, cerca de três meses após posse do prefeito Gilmar Olarte (PP) que assumiu prefeitura após cassação de Alcides Bernal (PP), o empreendimento já causou polêmica por conta dos gastos com evento, que até hoje não foram esclarecidos.

O inquérito será conduzido pelo promotor de justiça Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha.

Karla Machado