22 de junho de 2021
Campo Grande 28º 16º

Hospital de Câncer vai oferecer assistência domiciliar

A- A+

O HCAA (Hospital de Câncer de Campo Grande - Alfredo Abrão) inicia um novo serviço, o (SAD) Serviço de Atenção Domiciliar. O programa permite que pacientes aptos de acordo com as exigências para esse tipo de atenção possam ter assistência em suas residências após a alta hospitalar. O SAD do hospital é a primeira equipe multidisciplinar de atenção domiciliar e também de apoio especializado em atenção oncológica através do Programa Melhor em Casa no Brasil. Hoje, o hospital possui 16 pacientes sob os cuidados do serviço e tem capacidade para 60 pacientes. O Hospital de Câncer de Campo Grande foi habilitado através da Portaria do Ministério da Saúde Nº 263, de 31 de março de 2014, como estabelecimento de saúde apto a prestar esse serviço de atenção no domicílio do usuário. Ao contrário dos outros projetos existentes, a equipe para atenção em oncologia é multidisciplinar e foi criada apenas para esse fim, por isso sendo o único Serviço de Atenção Domiciliar atualmente que atende casos oncológicos pelo SUS. Os pacientes incluídos no programa devem ter quadro clínico estável e não necessitar de internação hospitalar para o tratamento clínico, e a assistente social deve averiguar se o local onde o usuário será tratado possui ambiência adequada e se possui um familiar ou pessoa próxima disposta a ser sua cuidadora. O cuidador, então, recebe as informações e treinamentos adequados para assistir o paciente em seu domicílio, tendo a supervisão e o suporte do serviço, que fornece os materiais necessários para a dieta e curativos e sua assistência 24h em caso de urgência, prestada por uma equipe multiprofissional. O SAD também é indicado para pacientes em fase terminal para cuidados paliativos. Isso porque a atenção domiciliar faz parte das ferramentas de humanização, onde o usuário pode estar ao lado da família durante o tratamento, recebendo carinho e suporte, e também em seus últimos momentos de vida. “Temos a expectativa de que, com o Serviço de Atenção Domiciliar,  pacientes dentro dos critérios estabelecidos pelo programa possam ter o ambiente e o apoio familiar em casa,  resgatando  autonomia através de um atendimento de forma segura, além da capacitação  dos familiares e pacientes para o fortalecimento do autocuidado, sem perder momentos importantes desse convívio”, ressalta a coordenadora do serviço, Regina Pereira Mazzi. As vantagens do SAD serão mais vagas para internação, redução do período de internação e diminuição dos riscos de infecções hospitalares. Com o início do seu trabalho, a instituição espera ganhar em rotatividade de leitos, elevando a capacidade de atendimentos e internações, além de reduzir o risco de infecções, comuns em ambientes hospitalares mesmo com atenção voltada para o controle de doenças. Leide Laura Meneses