24 de junho de 2024
Campo Grande 27ºC

"Moradores não podem pagar pela defasagem dos últimos anos", diz Chiquinho Telles sobre aumento do I

A- A+

O vereador Chiquinho Telles (PSD) usou a tribuna da Câmara Municipal para esclarecer que a proposta mais plausível apresentada ao prefeito, Gilmar Olarte (PP) sobre o aumento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), é que o aumento percentual não passe de dois dígitos.

“O aumento proposto pelo menos por mim é de 1% a 9% no máximo. Não sou economista, mas sei que a população não pode pagar pelo congelamento anterior e também sei que é inevitável o aumento, mas que seja algo dentro daquilo que pode ser pago, ou corre-se o risco da população se voltar contra a Casa”, disse o parlamentar.

Chiquinho disse que ainda continua na base do prefeito, mas tem coerência com o que pede a população. “Somos base, mas temos que ter coerência do que vamos votar. Fiz uma pesquisa simples e rápida em um dos programas de rádio que tenho aos sábados e das 30 pessoas que participaram 30 são contra o aumento do imposto”.

Segundo Telles o grande problema é que a população não está satisfeita com os serviços que recebe. “O serviço que chega é inferior a cobrança, se chove tem que sair com sacola plástica amarrada no pé por causa  do barro, se vai num posto de saúde não tem bom atendimento. E em reunião com o prefeito fui claro que não podemos impor essa conta sozinha aos moradores da cidade, essa defasagem dos últimos anos de uma vez só. Tem que ter aumento, tudo aumenta, mas sem quebrar ninguém”.

Dany Nascimento