17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Olarte aguarda aval da justiça para retomar implantação do Gisa

A- A+

O prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte (PP) voltou a se isentar da responsabilidade sobre a solução final para implantação do sistema Gisa, contrato em 2008 que até hoje nunca funcionou.

O Gisa, foi contratado pelo então prefeito da Capital Nelsinho Trad (PMDB) e por seu primo e ex-secretário municipal de saúde Luiz Henrique Mandetta, hoje deputado federal pelo DEM. Os recursos de pouco mais de R$ 8 milhões foram repassados pelo Ministério da Saúde, mas o sistema, que deveria permitir agendamento de consultas nas unidades de saúde da Capital pelo telefone nunca funcionou.

Depois de investigações do MPF (Ministério Público Federal) e da CGU (Controladoria Geral da União) foram contatadas diversas irregularidades que apontam para suposto crime de improbidade administrativa por parte de Nelsinho e Mandetta que teriam se beneficiado para favorecer vitória da empresa Telemída na licitação do Gisa.

Como a investigação ainda está em curso, o prefeito Gilmar Olarte preferiu não se envolver e diz que vai deixar tudo a cargo da justiça e do secretário municipal da saúde Jamal Salem. "Esse problema vem lá de trás, da época do Nelsinho Trad e agora está tudo a cargo da justiça e da Sesau", afirma.

Olarte negou que pretende investir mais R$ 4 milhões para Gisa volte a funcionar como havia mencionado ontem Jamal. Segundo prefeito ele desconhece essa situação e prefere simplesmente não se envolver. "Se o Jamal disse isso ele terá que responder, eu não sei. Sei que a vou aguardar a justiça, mas a palavra final será minha", finaliza.

Heloísa Lazarini e Leide Laura Meneses