17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Oposição diz que Olarte pode ser cassado se não cumprir a lei e pagar reajuste à professores

A- A+

O vereador Paulo Pedra (PDT) que pertence à oposição do prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte afirmou que é a favor de que o impasse entre o executivo e os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) seja resolvido e destacou que Olarte age de maneira “insatisfatória” ao se negar a dialogar com os professores, enquanto os mesmo não retornarem para as salas de aula.

“O Gilmar Olarte não tinha preparado para ser vereador, vai ter preparo para ser prefeito. Ele age de maneira insatisfatória, um homem público deve estar sempre pronto para dialogar, não se pode fechar o diálogo. Sou a favor que resolva o problema”, diz o vereador.

Os professores estão em greve e pedem ao prefeito que cumpra lei municipal 5.189/2013, que estabelece integralização do piso salarial, pedindo um reajuste de 8,46% que deveria ser pago no início de outubro deste ano. Ao todo são 53 escolas da Reme com atividades totalmente paralisadas, o que representa 56% do total de unidade, mais cinco escolas com paralisação parcial, ou seja, em apenas um turno, o que representa 5% das escolas municipais, e quatro Ceinfs completamente paralisados, o que representa 5% do total de unidades.

Questionado sobre algumas afirmações feitas pelos professores na manhã de ontem na Câmara Municipal, demonstrando interesse em cassar o prefeito por improbidade administrativa ao não cumprir a lei, Paulo Pedra ressalta que existe essa possibilidade.

“O prefeito que não cumpre uma lei ele comete improbidade, se os professores quiserem eles podem protocolar uma denúncia e pedir que ele seja enquadrado no decreto 201, afinal ele não está cumprindo uma lei. Sou a favor que resolva o problema, se ele não da conta de fazer, deixa o vereador e presidente da Câmara Municipal, Mario Cesar (PMDB) assumir e fazer”, diz Pedra.

Assim como Pedra, o vereador Cazuza (PP) que também pertence a oposição de Olarte disse que não entende o motivo pelo qual o prefeito não está cumprindo a lei. “Em relação ao professores, o prefeito já devia ter pago, não sei porque o executivo está demorando para tomar uma decisão, lei é lei e isso não se discute. Falar que prefeitura está sem dinheiro não da para entender, porque o prefeito Alcides Bernal (PP) deixou 658 milhões em caixa”.

Sobre a possível cassação de Gilmar Olarte, Cazuza diz que isso cabe a justiça e destaca que o prefeito não deve dialogar com a categoria e sim executar o que prevê alei.  “A justiça que tem que definir, se por ventura o prefeito estiver cometendo improbidade, a justiça tem que tomar sua posição.  Não precisa nem conversar mesmo com os professores, o certo é pagar a categoria e executar o que tem que ser executar, cumprindo a lei”, finaliza o parlamentar.

Dany Nascimento